Número de passagens por pedágios em janeiro maior que nos primeiros meses da pandemia

Número de passagens por pedágios em janeiro maior que nos primeiros meses da pandemia

Número de passagens por pedágios em janeiro maior que nos primeiros meses da pandemia

Na comparação com abril e maio de 2020, todos os tipos de veículos circularam mais pelas praças do País

Segundo o Índice de Frete e Pedágio Repom (IFPR), o ritmo de passagens nas praças de pedágio das rodovias brasileiras em janeiro foi 34% maior que nos meses de abril e maio de 2020, os primeiros períodos completos de impacto da pandemia no Brasil. Todos os tipos de veículos contribuíram para o aumento: os leves circularam 22,1% mais, os médios, 52,5%, e os pesados, 22,3%.

Se comparado ao período pré-pandemia, o número de passagens em janeiro de 2021 foi 4% menor que nos dois primeiros meses do ano passado. O volume de movimentações registrado pelo índice da Repom, marca da Edenred Brasil.

“Em janeiro deste ano, o ritmo de veículos pesados, que normalmente circulam para o transporte de fretes e pessoas, foi levemente menor que em dezembro, mas superior ao mês de janeiro do ano passado, com aumento de 9,9%, e 3,1% maior que a média do período pré-pandemia”, pontua Thomas Gautier, Head de Mercado Rodoviário da Edenred Brasil.

Em alguns casos, o aumento foi notório. Na BR-101, rodovia que conecta o Rio Grande do Norte ao Rio Grande do Sul, o movimento foi 78,9% maior que em abril e maio do ano passado. Na BR-116, rodovia litorânea que inicia no estado do Ceará e termina no Rio Grande do Sul, o número de passagens foi 72,9% maior. Já a BR-381, que liga São Mateus, no Espírito Santo, a São Paulo, apresentou 65,3% de aumento.

Na comparação entre estados, Minas Gerais registrou 62,9% mais passagens por pedágio que em abril e maio do ano passado. Em São Paulo e no Paraná, também houve aumento, de 36,8% e 20,9% respectivamente. Nos dois estados, porém, o ritmo em janeiro de 2021 foi 11,2% menor que no mesmo mês do ano passado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *