MECÂNICO AUTOMOTIVO: SOBRAM VAGAS E FALTAM PROFISSIONAIS QUALIFICADOS

06/02/2020

 

App Emprega Mecânico tem 200 vagas de emprego abertas

 

Federação das Revendedoras, apontam que em 2019 o Brasil apresentou crescimento de 2,2% nas vendas de veículos usados. Foram comercializadas 14.592.621unidades, sendo 39% para os chamados “jovens”, veículos com 4 a 8 anos de uso, ficando com o menor índice, 15%, carros seminovos, com 0 a 3 anos de fabricação.

 

A venda de veículos novos também cresceu em 2019, segundo relatório da FENAVRAVE -Federação dos Distribuidores Automotivos. Foram emplacados 2,78 milhões de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus em todo o país, aumento de 8,65% em comparação com 2018.

 

A expectativa é que agora em 2020 a frota circulante brasileira passe dos 60 milhões de veículos, somando-se automóveis, veículos comerciais leves, pesados e motos. Mas na contramão deste número tão elevado, vem a falta de profissionais capacitados.

 

Para alguns mecânicos consultados, não conseguimos encantar os estudantes a seguir a profissão. Já para outros a ampliação da frota somada a evolução tecnológica contribuiu para a falta de reparadores qualificados. Antes da injeção eletrônica, o reparador aprendia o serviço na prática, era uma profissão passada de pai para filho, hoje a profissão exige conhecimento técnico.

 

Prova disso é que o App Emprega Mecânico está com mais de 200 vagas abertas e não consegue preenche-las, pois faltam mecânicos qualificados.

 

O aplicativo nasceu para atender a alta demanda do mercado automotivo por profissionais qualificados e ser uma ponte de ligação entre os alunos da Escola do Mecânico com o empregador. Ele auxilia o aluno e ex-alunos na colocação e recolocação profissional e colabora com as empresas na busca pelo candidato ideal. “A pessoa certa no emprego certo”.

 

 

 

Para Sandra Nalli, fundadora da Escola do Mecânico, a reparação automotiva é uma área que possibilita inúmeras oportunidades de trabalho e renda. “Grande parte de nossos alunos, buscam a capacitação ou a formação como mecânicos de carro e ou moto. Outros já buscam nichos mais específicos, querendo se diferenciar no mercado. Temos também recebido muitas mulheres e elas procuram conhecimento para montar sua oficina ou colaborar com seu marido. Vale muito a pena se capacitar!”, conclui Nalli.

 

 

O futuro dos mecânicos para os próximos 5 anos

 

Está muito difícil prever o futuro hoje em dia, pois as transformações e disrupturas acontecem de forma cada vez mais inesperada, mas os sinais que o mercado emite já apontam no mundo automobilístico que o mecânico nos próximos 5 anos deverá ter competências nas áreas de leituras de catálogos eletrônicos de autopeças, entendimentos de processos para fazer mais serviços em menos tempo e determinação na construção de uma agenda firme de capacitação profissional para enfrentar a transição de um universo de motores a combustão interno, para um mix complexo de tipos de energias de propulsão que vai desde o conhecido flex, passando pelo híbrido e chegando a eletrificação, diz Sérgio Alvarenga, diretor executivo do SINDIREPA-SP– Sindicato dos Reparadores Automotivos.

 

Para ele as competências devem ir além do conserto. “A conclusão que chegamos é que estaremos mais conectados e vivenciando o reparo realizado, o que demandará mais responsabilidades e soluções rápidas” conclui Alvarenga

 

 

Para Nílcio Caibar Souza Freitas, gerente regional do Sebrae Campinas, os empreendedores do setor estão diante da necessidade, cada vez maior, de eficiência na gestão como desafio para enfrentar as inovações que a tecnologia traz ao segmento de veículos, ao mesmo tempo que vê o envelhecimento da mão de obra. Nílcio destaca que não podemos esquecer que do outro lado, estão clientes cada vez mais exigentes, que querem atendimento personalizado e com preço justo.

 

“E é neste cenário que se enxerga que as empresas de reparação automotiva que estão no ramo ou que queiram entrar neste nicho que não se adaptarem de maneira rápida terão dificuldades para se manter no mercado”, explica Nílcio e a mesma medida cabe aos reparadores. É necessário aliar a gestão eficiente com o atendimento qualificado, para manter clientes fiéis e conquistar novos consumidores.

A palavra de ordem dos especialistas resumidamente é: CAPACITAÇÃO. Trabalho tem e quem buscar conhecimento terá sucesso no mercado.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
DESTAQUE NA REPARAÇÃO

COMO SE PROTEGER COM A ECONOMIA EM VÁRIOS CENÁRIOS

26/03/2020

1/3
Please reload

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Please reload