INJEÇÃO DIRETA E INDIRETA

12/12/2019

“Voltando À Polêmica Limpeza de Bicos Injetores!”

 

A Injeção Eletrônica de Combustíveis chegava ao Brasil em 1988 com o Gol GTI.

Terror dos reparadores, principalmente no interior, onde o acesso às informações era muito escasso.

Apelidada de Injeção Burra, pelos mecânicos, pois a mesma não tinha comunicação com equipamentos de diagnóstico (SCANNER).

 

Após vieram as Injeções Eletrônicas com Diagnóstico via Scanner, e assim de Injeção Eletrônica passamos a chamá-la de Gerenciamento Eletrônico do Motor.

 

GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DO MOTOR

O que fez diferenciar e mudar a classificação de Injeção eletrônica para Gerenciamento Eletrônico do motor foram as funções agregadas ao Módulo de Controle Eletrônico, conhecido como Central, UCE, ECU, etc.

Antes, o sistema controlava apenas a injeção de combustível, conforme temperatura do motor, ar admitido, sincronismo e ponto de ignição.

 

Com a necessidade e busca de melhorias em autonomia e redução de poluentes, a UCE passa a controlar sistema de carga e partida, monitorar sinais de climatização, transmissão, frenagem, por comunicação via REDE CAN com as demais unidades do Veículo.

 

INJEÇÃO INDIRETA

A injeção indireta é a mais comum nos automóveis, e não a mais antiga, pois a injeção direta já era aplicada em veículos diesel.

 

Chamada de Indireta, pois ela injeta o combustível por trás das válvulas de admissão, para ser admitido juntamente com o Ar externo que é puxado pelo motor.

 

INJEÇÃO DIRETA

Já a Injeção Direta, ela injeta diretamente na câmara de combustão, a ponta do Injetor fica na câmara igual à vela de ignição, porém em ângulos diferentes.

 

O que muda a grosso modo na injeção direta:

⎫ Pressão de Combustível passa a contar com 2 Bombas, a Elétrica e a Mecânica de Alta Pressão, que atingem em alguns modelos 200 bars;

⎫ Injetores de Baixa Impedância, e de spray mais pulverizado.

E outros sensores e atuadores acrescidos ao sistema.

 

Mas, então, os Bicos Injetores de Injeção Direta testam ou não as máquinas de limpeza injetores?

Sempre surge, em torno dos serviços de manutenção automotiva, se limpa ou não injetores. 

Na edição 124 da Revista Reparação Automotiva, trouxemos uma matéria sobre a limpeza dos injetores de injeção Indireta, onde, caro leitor, você poderá acessar na versão online, caso não tenha a revista física, e ver toda a análise.

 

Bom, aí voltamos à Polêmica, Limpa ou não Bicos Injetores?

Então, surgem reportagens, entrevistas, opiniões, mas a realidade é outra!

Quando chegam à oficina, com falhas e vários diagnósticos, inclusive virou FEBRE NACIONAL:

“eu vi no youtube”

“o fulano falou que,

no programa de ciclano,

o mecânico de um amigo disse,

e a lista fica extensa”.

 

As pessoas que gravam as dicas, ou participam por meio da mídia, seja impressa, web ou TV, não estão afirmando que todo o caso é o mesmo, mas apresenta situações que podem ocorrer, uma forma de estarmos atentos. Mas infelizmente interpretam de forma errada, tomam decisões e realizam ações que resultam em prejuízos financeiros e muitas vezes levam pessoas a formarem opiniões que denigrem a imagem de oficinas, montadoras, etc. 

 

Diagnósticos e dicas mal interpretadas, trazendo conflitos entre clientes e reparadores, pois o cliente assistiu, ou leu em algum lugar, ouviu, e já acha que o diagnóstico é uma produção em Série, tudo igual.

Alguns, não compreendem o assunto, entendem de forma errônea, e jogam o diagnóstico como se fosse receita de Chá da Vovó.

 

“limpeza de bicos não é reparo dos mesmos, é uma manutenção preventiva!”

 

A REALIDADE NAS OFICINAS

Nos últimos dois meses, recebemos veículos com diagnósticos prontos, fabricados e, por muitas vezes, levaram os clientes a realizarem manutenções erradas e caras, e o defeito era tão somente os INJETORES GDI (Injeção Direta), com problemas.

 

Um dos casos, um UP TSI, acusando falhas de combustão, e já tinham trocado velas de ignição, até o aditivo do radiador, conforme o proprietário, alguém na internet, no canal X, disse que o problema do UP era “Y”. Até que o veículo nos foi encaminhado, e ao analisar encontramos a falha dos injetores, nos testes em equipamento apropriado. A máquina de Limpeza de Bicos Injetores para Injeção Direta traz em seu nome a designação GDI.

 

Aqui na GENERAL TECH, utilizamos a MULTIJET PRO GDI, da Alfatest, vale salientar que a máquina é parecida com as demais, porém ela tem interface eletrônica diferente, para receber o injetor de baixa impedância, onde você seleciona se é GDI ou Convencional, chamado de Stand. E possui uma pressão de linha maior que a máquina para injeção indireta.

 

Os Bicos do UP! TSI apresentaram gotejamento a 6 bars de Pressão.

 

Outro caso foi o FORD FOCUS TITANIUM, onde o veículo apresentava falhas para funcionar, e ficava tremendo (vibrando) até a antena do teto. 

 

O cliente chegou com diagnósticos diversos:

I. Que era sua embreagem; 

II. Outro que era a bomba de alta;

III. Problemas no sistema elétrico.

 

Ao realizar o diagnóstico por scanner automotivo, via-se a informação de falha de pressão de combustível, mas analisando as pressões baixa e alta, podemos verificar que estavam dentro dos padrões. Ao retirar os injetores levados à máquina, identificamos a falha dos mesmos:

 

⎫ Leques deficientes;

⎫ Equalização desigual;

⎫ Estanqueidade danificada.

 

Veja no detalhe o bico gotejando a 8,5 bars de pressão:

 Por motivos de segurança, não temos a máquina de limpeza de Injetores GDI com a pressão real de trabalho, pois há riscos ao trabalhador. A desmontagem dos bicos GDI também não é uma tarefa simples, acompanhe nosso colaborador Ailton Jr. desmontando o sistema:

 

Após a retirada dos injetores, são visíveis os danos causados como carbonização das válvulas de admissão:

 

 

Estas e outras falhas são amenizadas e muitas vezes evitadas, com manutenção preventiva.

 

Resumindo, existe sim limpeza de bicos injetores tanto da Injeção Direta ou da Indireta, em caráter preventivo.

A máquina deve ter uma placa eletrônica apropriada, para não danificar os injetores. 

 

Para realizar a manutenção de veículos com injeção direta, o profissional precisará dos seguintes equipamentos, além das ferramentas manuais:

 

Scanner Automotivo Atualizado e liberado para montadora: AUTEL, para veículos Importados.

 

RAVEN 3, para veículos Nacionais e Diesel

 

Máquina de Limpeza de Bicos GDI, Multijet PRO GDI

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
DESTAQUE NA REPARAÇÃO

Revista Reparação Automotiva Edição 141

29/05/2020

1/3
Please reload

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Please reload