Cinta do Airbag, troca do componente do Hyundai Santa Fé.

16/09/2019

 

Neste procedimento, a ideia é passar algumas dicas importantes de como substituir a cinta do airbag usando um resistor 

Nosso convidado deste mês é Alex Tadeu, instrutor da ARB Treinamentos Automotivos e reparador automotivo, que desta feita está na Porsche Veículos, da cidade de São Caetano do Sul (SP), com o Santa Fé, da Hyundai, para a troca da cinta do AirBag. “Nós iremos usar o método do resistor, para que se possa ganhar tempo na oficina. Bora ver o procedimento?” 

 

Neste caso, quando se a acionar a ignição, a luz do AirBag ficará acesa e, no caso de colisão frontal, o AirBag não será acionado. “Então, o primeiro procedimento é conectar  o aparelho de diagnóstico, vamos levantar a avaria deste ponto e teremos um caminho. Neste acesso, nós começamos a desmontar o sistema de AirBag para poder chegar onde fazer e conectar o resistor que havíamos comentado.  

 

Procedimento

Passo 1 - Primeiro, faremos o diagnóstico eletrônico. Nós vamos conectar o aparelho aqui no conector OBD2 para realizar diagnósticos do sistema. Já com o scanner conectado, faremos uma varredura do sistema de airbag. Então, vamos entrar com o equipamento para saber de onde partirá o defeito do carro. Vou ligar a chave dele, vou entrar em “diagnosticar” > Asia > Hyundai > Santa Fé 2008 2.7. 

 

É importante sempre seguir esses passos porque você pode acabar entrando em outro sistema num carro diferente e obter um diagnóstico errado. Por isso é importante estar atento a esse passo. Depois, selecionamos Controle do AirBag e ele informa o código de falha: “AirBag do motorista com resistência muito alta”. 

 Quando a resistência está alta, isso quer dizer que o fio está quebrado, que houve uma ruptura. Caso apareça “AirBag do motorista com resistência muito baixa”, quer dizer que os dois fios, do pré tensionador ou da bolsa, estão juntos em curto circuito. Então essa é uma dica para saber se tem algum fio quebrado ou algum fio juntando com outro, só pelo código de falha, você já consegue ter uma ideia do que está acontecendo com o sistema. Nesse caso, o fio está rompido, provavelmente no assento do Airbag. Agora nós vamos usar o resistor para poder diminuir o tempo, sem precisar desmontar muitas coisas. 

E qual é o uso do resistor? Ele apaga essa memória de avarias e testa o sistema. E, assim, podemos identificar se o sistema está funcionando e chegaremos à central de AirBag de maneira mais rápida. Vamos lá conectar? 

 

Passo 2- Agora, vamos conectar o fio relacionado à bolsa do Airbag e tenho uma dica: todo conector que você ver em amarelo significa que ele pertence ao dispositivo do AirBag. 

 Pode ser bolsa ou pré tensionadores, no caso é bolsa. No caso, no momento vou desconectá-lo. Esse é o lado que vai para o carrro, lado da cinta está aqui, pode ser um resistor de 2,2 ohms de 5 Watts, que seria mais robusta para que façamos o teste e iremos colocar nos dois fios que são contato da mola espiral, ou seja, da cinta do airbag. 

 Voltaremos no diagnóstico no scanner e perceber que com esse resistor, formulador, ele tem que apagar a memória de avarias se não tiver defeito na parte interna do carro. E se tiver defeito na parte interna do carro não é a cinta. Se conseguirmos apagar a memória utilizando esse resistor de 2 ohms, quer dizer que a cinta está quebrada, ou seja, só desmontamos a parte de baixo da chave de seta. Essa é uma maneira rápida e simples de se fazer um diagnóstico.  Vamos voltar ao scanner para ver se apaga a memória de avarias? 

 

Passo 3 - Vamos entrar de novo com o aparelho de diagnóstico e ver se apagou a memória com o simulador utilizado - o resistor de 5 Watts e 2,2R. Pelo modo manual, identificaremos o carro no scanner e aguardamos a inicialização do sistema. Olha que interessante: o defeito continua, porém, agora, ele está em histórico. 

 

O histórico, para quem está acostumado a utilizar aparelhos de diagnóstico, quer dizer que o defeito está no modo passado e já solucionou. Então, quase certeza que quando apagarmos os dados de avaria, ele ficará congelado. Vamos lá? 

 Apaguei a memória de avarias e agora farei a leitura novamente. Se tirarmos o aparelho de diagnósticos aqui da frente, você verá que a luz do airbag está apagada. Então vamos sair do sistema e ver se apagou a luz: olha lá, no caso a luz já apagou. 

Isso quer dizer o seguinte: o sistema do carro está ok. Com o auxílio do aparelho de diagnóstico e o simulado/resistor, conseguimos identificar se o carro está funcionando. E se o carro está funcionando, meu problema ou é a cinta do airbag ou é a bolsa.  

 

Entraremos, agora, no procedimento de desmontar essa bolsa com segurança, de maneira correta, para que não leve nenhum problema e que não ocorra nenhum acidente. Porque, como havia dito, nós estamos lidando com explosivo. 

 

Para tal, nós vamos desligar a bateria. Como mexeremos num dispositivo explosivo, se tiver uma tensão residual no sistema, tem perigo de isso estourar. Ou seja, de estourar enquanto manuseio. Por isso, vamos desligar a bateria do carro, esperar uma média de 30 minutos para que possa descarregar toda a carga residual do comando nos seus capacitores e, depois disso, podemos fazer o manuseio da bolsa. 

Pessoal, agora que a bateria foi desligada, esperamos o tempo indicado, soltaremos os parafusos das laterais, já que o volante e as bolsas de AirBag são presas com esses parafusos laterais. Tem carros que a bolsa do Airbag está encaixada e possui travas específicas, atrás do volante ou por baixo dele, vai depender do modelo do carro. 

 

Passo 4 - Pegamos a bolsa e retiramos ela do lugar, sempre a parte onde tem o perigo de estourar para cima.

Porque caso coloque a bolsa no banco, no chão do carro ou outro apoio, se tiver o perigo da eletricidade estática, pode ter o acionamento acidental e isso pode causar ferimentos graves. Então, o que a gente faz?

Bolsa para cima, pegaremos a bolsa e colocaremos no porta-mala, virada para cima e fechar o porta-mala. Se acontecer alguma coisa, alguma energia estática ativada, a bolsa estará no porta-mala e não machucará ninguém. Vamos colocar lá? 

Passo 5 - Já sem a bolsa do airbag, soltamos a porca central do volante, retiraremos o volante para ter acesso à cinta do AirBag, a qual vamos retirá-la para fazer a substituição.  

 Nesse caso, essa cinta é encaixada, mas em alguns veículos ela pode estar acoplada ao conjunto da chave de seta ou ao acionamento das alavancas. Em alguns, a cinta pode estar aparafusada, vai depender do caso e você pode ter dificuldade de retirá-la do lugar. Por ela estar encaixada, nesse caso é mais fácil.  

 

Passo 6 - Então, nós soltaremos o conector secundário. 

 E vamos destravá-la com auxílio de uma chave de fenda e retirar a cinta. 

 

Aqui, temos acoplado um sensor junto à cinta - esse sensor se chama sensor do ângulo de direção. Em outro momento, falaremos sobre o ajuste básico desse sensor. 

 

Agora, pessoal, vamos pegar uma nova para fazer a substituição e tenho uma dica importante quanto a isso.

Quando você retirar a cinta da caixa, ela vem com uma trava: significa que não consegue ter o acionamento dela se tentar roubá-la, ou seja, se pegarmos, conseguimos rodar. O que acontece se descentralizarmos ela é que no momento que  formos montá-la no lugar podemos acabar rompendo. E isso acontece muito quando precisamos fazer algum reparo na coluna de direção, no eixo de cruzetas ou até na própria caixa de direção que isso fique fora de direção. Então, se ficar fora, pode romper acidentalmente. 

 

Atenção: Quando você for colocar a cinta no lugar, só vai retirar essa trava quando ela estiver no local.  Para fazer a substituição, encaixamos a mesma no lugar certo. 

Passo 7 - Primeiro, posicionamos o sensor do ângulo, que nesse carro fica acoplado à cinta do airbag. Por isso a gente não mudou ela de posição. 

Depois, as conexões devidas. Colocamos o conector da cinta e o conector do ângulo, já posso retirar o resistor e encaixar o conector do airbag.

 

Como a bateria está desligada, não existe perigo. 

 Com a cinta fixada, agora podemos montar o acabamento do volante, colocar o volante e a bolsa. Antes de tudo isso, posso no momento retirar a trava, porque a posição que a cinta se encontra é de roda reta frente. Não tem perigo de ruptura pois já vem pronta justamente na posição de linha reta. E continuamos com a montagem. 

 Depois da cinta trocada, depois de tudo montado, bolsa e volante no lugar. E o último passo é conectar o aparelho de diagnóstico para apagar a memória de avarias.

 

 Passo 8 - Leitura de código ok! Como apagamos a memória com o resistor, nós desligamos a bateria. E quando desconectamos a bateria ficou a memória limpa. Conforme montamos tudo com a bateria desligada, ele reconheceu que a cinta está conectada com a bolsa e a resistência da bolsa está ok e mostrou um sistema sem memória de defeitos. A luz do AirBag já apagou. Defeito resolvido! 

 

Gostaria de deixá-los atentos ao resistor: ele serve para ajudar no diagnóstico, não é a venda de um serviço. Ou seja, se você pegar um carro com defeito no pré-tensionador, na bolsa do AirBag, pode-se utilizar essa ferramenta para que possa diminuir o tempo e você ganhe tempo pelo serviço. Além disso, nem todo o carro usa a mesma voltagem, pode ser de 10, pode ser de 30. Vai depender do sistema.

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
DESTAQUE NA REPARAÇÃO

Leia a versão digital de Dezembro da Revista Reparação Automotiva.

10/12/2019

1/3
Please reload

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Please reload