Capacitação é fundamental. E ainda há quem pense no setor que isto é um custo

18/03/2019

 

Absurdo que ainda haja empresários da reparação automotiva que não investem nos seus colaboradores com medo de perdê-los para outras oficinas 

 

Antes de qualquer coisa, é preciso ter em mente que este investimento, no período que eles estiverem ​​produzindo na sua empresa, lhe trará ganhos e, além disso, profissional mal capacitado corre o risco de fazer uma má utilização dos equipamentos; um prejuízo certo para você. 

 

E, para manter a sua equipe atualizada, há muitos meios hoje em dia, que não requerem sacrifícios. Capacitação é fundamental, conforme aborda a seguir André Santos dos Reis, analista técnico do Sebrae, Unidade Regional de Barreiras (BA), mostrando todos benefícios, abrindo os olhos de quem ainda não pensa desta forma. 

 

Equipe atualizada - É importante compreender e sempre acompanhar as mudanças do mercado, por se tratar de um segmento que está em constante transformação. Temos como exemplo disso as legislações existentes nesse setor, que muitas vezes não são compreendidas pelo empresário e sua equipe, como a implantação do programa Rota 2030, pelo Governo, em 2018, que traz adequações e incentivos para fabricantes de carros e, consequentemente, para as oficinas mecânicas. 

 

Capacitações - É importante que as equipes participem de capacitações, como cursos, palestras, workshops e consultorias. Também é possível acessar muitas outras informações que estão disponíveis gratuitamente na internet. Ressalto, além disso, a participação em feiras voltadas para o segmento, como a Automec, que acontece em abril, e pode agregar ainda mais conhecimento à equipe.

 

Meios - Existem diversas formas, a exemplo de cursos oferecidos pela internet, Sebrae, Senai, Senac, dentre outras instituições. O importante é encontrar a mais adequada e acessível ao empresário e colaborador. Essas capacitações devem trazer resultados. Por isso, é importante que o empresário comprove sua autenticidade e acompanhe os resultados gerados por meio delas dentro do empreendimento.

 

Mentalidade - O empresário precisa entender que o objetivo da capacitação é o desenvolvimento profissional e pessoal dos colaboradores da empresa. Por isso, os funcionários treinados tendem a adquirir novas habilidades e melhorar o desempenho em suas funções. Dessa forma, é de extrema importância que o próprio gestor do empreendimento acompanhe a evolução desses resultados, antes e depois de uma qualificação profissional. Com isso em mãos, ele entenderá a importância desse investimento no colaborador.

 

Não é custo - Um dos principais erros é acreditar que somente uma capacitação é suficiente para alavancar os resultados dentro de uma empresa. Esse deve ser um trabalho constante, para que, de fato, o empresário alcance bons resultados. Ainda existe, hoje em dia, uma falsa visão de que capacitação é um custo para a firma. Ela deve ser encarada como um investimento, porque trará resultados positivos para o negócio. 

Outro ponto é acreditar que, com a saída do colaborador, a empresa irá perder todo o investimento feito em capacitação. O empresário deve ter em mente que, enquanto o colaborador está trabalhando e transmitindo seus conhecimentos, o empreendimento está ganhando.

 

Rotatividade - Infelizmente, o receio de investir no funcionário e perdê-lo para outra empresa é uma visão compartilhada por boa parte dos empresários. Porém, o gestor do negócio precisa entender que, sem capacitação, há uma série de prejuízos para o seu empreendimento. 

 

Perdas - Funcionários que não são capacitados podem, por exemplo, fazer uma má utilização dos equipamentos, que muitas vezes têm um custo elevado, além de não ter determinado conhecimento para solucionar o problema do cliente.  Tudo isso gera “retrabalho” e, como consequência, horas de trabalho desperdiçadas, reduzindo o número de atendimentos aos clientes, insatisfação e prejuízo para a empresa.

 

A melhorar - É necessário a busca do conhecimento, mas aplicado às atividades diárias. Não adianta aprender e não implantar, tanto na área específica do serviço da oficina, quanto no empreendimento como um todo. Em um mundo com tecnologia de ponta se atualizando constantemente, ficar obsoleto é um erro fatal. 

 

Além disso, de que adianta uma oficina de ponta em termos técnicos, se não realizar um bom trabalho na parte de marketing ou finanças, por exemplo? É preciso ir além sempre e ser reconhecido por todos os detalhes do negócio, qualidade da peça trocada até o atendimento ao cliente. Os colaboradores precisam entender que para a melhoria da empresa, eles também precisam ter uma visão global do empreendimento. 

 

 

 

TREINAMENTO E PLANO DE CARREIRA

Na Auto Mecânica Scopino, o programa de treinamento da equipe está automaticamente relacionado ao plano de carreira. O empresário Pedro Scopino (foto) conta em que todo começo do ano, quando o SENAI disponibiliza os cursos, eles ganham cinco bolsas. “E eu já uso isto no plano de carreira para programar o pessoal da oficina”. 

 

Outra metodologia que ele pratica é a de testes constantes com os seus colaboradores. “Pelo menos duas vezes por ano eles são avaliados. E isto eu levei para o GOE, Grupo de Oficinas Especializadas, que hoje tem a Olimpíada do Conhecimento. Os funcionários das nove oficinas que fazem parte do grupo participam com testes teóricos e práticos valendo premiação em dinheiro”.

 

O resultado, diz ele, “eles podem ser mais valorizados e isto contribui para incentivar o estudo, o que é muito difícil no nosso setor”. Scopino também indica outros meios para se capacitar, “acho que a troca de informações pela internet não é tão produtiva, mas há treinamentos muito bons, como o da MTE-Thomson, chamado de Oficina do Saber, e o da ZF, o Amigo Bom de Peça. A dica é buscar fábricas que já têm treinamentos a distância”. 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
DESTAQUE NA REPARAÇÃO

Leia a versão digital de Janeiro da Revista Reparação Automotiva.

21/01/2020

1/3
Please reload

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Please reload