Defeito crônico do motor TFSI da família Volkswagen e Audi; Nos retentores de cabeçote e anéis de pistão

05/02/2019

 

 

Hoje nós vamos falar sobre o defeito crônico do motor TFSI, da família Volkswagen e Audi. Quem conta para gente é o experiente profissional da reparação, Bruno Rodrigo Costa, proprietário da Oficina Juca Bala Racing, situada na zona norte da capital paulista. “Esse veículo chegou para nós com o cliente reclamando de alto consumo de óleo. Vamos detalhar para vocês o procedimento que realizamos”. 

Procedimento

Passo 1: No diagnóstico a ser feito, tiramos as velas e visualmente deu para perceber que tem queima tanto marcada na vela quanto no cilindro, na cabeça do pistão.

 

 


Passo 2: Outro diagnóstico, também, foi desmontar a tampa da membrana do respiro do motor. Essa membrana costuma rasgar direto – quando ela dá defeito, além da marcha lenta do carro ficar quadrada, ele puxa o óleo também do motor, fazendo baixar.

 

 

Como nós comentamos na parte anterior, a respeito da membrana do respiro do motor, vocês podem visualizar que ela está em perfeitas condições. 

 

Esse item, também, quando danificado, geralmente, rompe nas laterais, porque o trabalho dele é parecido com o de um pulmão no motor. Como ele fica flexionando, tende sempre a cortar nas laterais da própria membrana. Esse aqui está em perfeitas condições. Quando tem um rasgo, ela também faz baixar o óleo do motor. 

 

Passo 3: Dando sequência à desmontagem do motor da Q5, retiramos o coletor de admissão, pode ver a peça aqui. 

 

Vamos mostrar esse componente muito reconhecido pelos reparadores e mecânicos. Os bicos injetores, injeção direta, que também nós temos o corpo de borboleta da aceleração dele, temos, também, o sensor de pressão de alta do sistema de injeção direta e todos os outros componentes, como a bomba de vácuo. 

 

Passo 4: Continuando, nós estamos com um sistema de distribuição de corrente toda aberta e nós temos os comandos do cabeçote. 

 

Essa polia trabalha com pressão de óleo, temos os guias das correntes, a própria corrente, o esticador da corrente do sincronismo do motor.

A engrenagem do virabrequim, engrenagem da bomba de óleo, os eixos balanceadores, o eixo que toca da correia à bomba d’água e o esticador da corrente dos eixos balanceadores. 

 

Como todas as peças mecânicas que um veículo tem, o sistema de corrente, esticador, também apresentam desgaste. Então, a dica que nós vamos deixar pro amigo reparador e pro mecânico: quando for fazer a substituição de engrenagens, de correntes, esticadores, apoiadores de corrente, se atentar na hora da montagem da polia do motor para a engrenagem do virabrequim. Você vai ver que a falha do dente dela, às vezes, pode confundir se montar encavalado, não vai dar o aperto suficiente no parafuso e pode gerar um baita de um prejuízo. 

 

Terminamos de retirar o cabeçote do motor da Q5. E como vocês podem ver, tem bastante indício de vazamento pelo retentor de válvula do próprio cabeçote. 

 

Passo 5: Nós vamos mandar a peça para a retífica que, além da troca de anéis, vai fazer o cabeçote e deixar o serviço 100%. Aqui, como nós já podemos ver o motor sem o cabeçote, os pistões dele, como tínhamos visto no diagnóstico antes de desmontar, estão bem marejados de óleo. E agora tivemos a confirmação. 

 

 

 

Passo 6: O que nós faremos agora nesse motor aqui? Vamos aferir a medição que está nos cilindros e, se ele passar da margem de segurança, nós vamos manter a medida original que é standard, fazer a troca de anéis e montar.

 

Após todo o serviço que fizemos no carro, retífica do cabeçote, a retífica da sede de válvulas, trocamos os retentores de válvulas, tiramos o bloco do motor para trocar os anéis de pistão. 

 

 

Passo 7: Com o carro em funcionamento, após toda a incisão mecânica, estamos nesse momento fazendo a parte eletrônica, todo reset nos parâmetros auto adaptativos e vamos analisar todos os dados no banco de dados que o scanner oferece para nós, para analisar como ficou o conjunto mecânico com conjunto eletrônico após todo o procedimento e reset também. 

 Aqui nós temos vários dados, assim como, exemplo, sonda de oxigênio, sensor de oxigênio, temperatura de ar, dados de rotação de motor, fluxo de massa de ar, temperatura de fluido (a preparação do combustível em longo prazo), sistema de alta pressão do combustível, temperatura do combustível, ativação da ventoinha, temperatura do óleo do motor em trabalho, temperatura do ar de admissão e temperatura do fluido do arrefecimento, etc. 

E todos os dados indicam agora, depois de toda programação e o reset no sistema, que o veículo está 100%. Toda incisão mecânica e eletrônica ficou aprovada na Audi Q5. 

Assista ao vídeo do procedimento

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
DESTAQUE NA REPARAÇÃO

Leia a versão digital de Novembro da Revista Reparação Automotiva.

18/11/2019

1/3
Please reload

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Please reload