“Se meus funcionários tivessem o mesmo comprometimento que eu tive quando era funcionário, meus problemas estariam resolvidos”

13/12/2018

 

 

 

Você, empresário, talvez já tenha ouvido, pensado ou até mesmo falado essa frase, na prática isso não funcionaria exatamente assim, pois poderiam talvez não ser mais seus funcionários e sim concorrentes seus. Mas claro que o ideal é que tenhamos profissionais com maior nível de comprometimento, só não podemos perder tempo comparando e sim estudando os motivos que impedem que sua equipe seja mais comprometida com os resultados da empresa. 

 

No início de minha carreira profissional como consultor, tive a oportunidade de atuar em 12 oficinas especificamente nas suas equipes, utilizando conteúdo teórico de gestão de pessoas que havia aprendido na faculdade e cursos da área, foi uma experiência maravilhosa e desafiadora, pois estaria comprovando a eficiência da teoria aplicada na prática e, claro, desafiando frases do tipo “Isso é apenas teoria... na prática é diferente”. 

 

Diante deste desafio foi possível observar vários fatores que impediam o maior comprometimento dos colaboradores, e o que ficou muito óbvio é a falta do básico, que é o alinhamento entre as partes, onde a empresa apresenta as expectativas que tem sobre o profissional e monitora mensalmente dando feedback a respeito do resultado alcançado, e o profissional também apresenta as expectativas que tem perante a empresa para que consiga crescer e se realizar no trabalho, e através de diálogos mensalmente conduzem um processo de crescimento para ambas as partes. 

 

Em relação à distância entre teoria e prática, foi possível observar que ela não existe, mas sim momento e estrutura, ou seja, sua empresa talvez não tenha uma estrutura de cargos suficiente para trabalhar um Plano de Desenvolvimento Profissional, pois o setor administrativo, que irá implantar e trabalhar isso, conta apenas com dois profissionais e eles atuam como Vendedor, Financeiro, Estoquista, Telefonista, cuidam da contabilidade, fazem o leva e traz de clientes e assim estão acumulando atividades dos principais processos, não terão tempo para conversar individualmente com cada funcionário dando o Feedback sobre o desempenho e possibilidade de melhorias. 

 

Também pode ocorrer que sua empresa já tenha sua estrutura de cargos bem definida com profissional específico para focar na Gestão de Pessoas, porém não está no momento (preparada) para implantar o Plano de Desenvolvimento Profissional, uma vez que na equipe existem muitas estrelas e não podemos bater de frente com o ego delas, precisamos de faturamento e não podemos perder nenhum funcionário, pois isso irá comprometer o financeiro. 

 

Isso ocorre em várias empresas e é natural, faz parte da evolução e devemos respeitar, sua empresa tem o seu momento para tudo, não se muda do dia para a noite, mas também não se desiste nas primeiras tentativas. Saiba administrar as prioridades nas mudanças e lembre-se: para que haja mudanças você precisa iniciar hoje um novo comportamento, uma nova atitude e assim irá colher resultados diferentes no futuro.

por Rodimar Marchiori Diretor da Marchiori Consultoria

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
DESTAQUE NA REPARAÇÃO

Revista Reparação Automotiva Edição 140

29/05/2020

1/3
Please reload

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Please reload