Land Rover Discovery 3, com patinação na aplicação da 4ª Marcha

08/11/2018

 

História e diferenças

A ZF 6HP21/28/34 é a segunda geração baseada na caixa ZF 6HP19/26 que está presente no mercado desde 2002. Estas transmissões são muitas vezes referidas como a “segunda geração” e são utilizadas em baixa e elevada capacidade de binárias aplicações do veículo.

 

De forma mecânica, as seis velocidades para a frente e reversa são conseguidas através do uso do que é conhecido como um Lepelletier trem de engrenagem planetária, três conjuntos de embreagens de condução e dois freios de retenção, como pode ser visto no gráfico aplicativo exibido abaixo. (FIG. 1)

A parte elétrica e hidráulica desta caixa de velocidades é controlada por aquilo que é conhecido como “o Módulo Mecatrônica”. Esta é uma combinação de um módulo de controle de transmissão e o corpo da válvula configurada como uma unidade. Em outras palavras, a central é montada no corpo de válvulas e está imersa no fluido de transmissão.

 

O controle do Módulo Mecatrônica tem a sincronização de mudança com base nas entradas do Módulo de Controle do Motor, ABS e o Módulo de Informações do driver via CAN. Esta estratégia de mudança é controlada pelo Módulo Mecatrônica com base na entrada do câmbio e carga do motor, informação recebida através de CANbus.

 

A ZF 6HP foi a primeira transmissão de seis velocidades em uma produção de automóveis de passageiros. Lançada com o 6HP26 pela ZF Friedrichshafen, em 2000, foi fabricada pela ZF Getriebe, GmbH, em Saarbrücken, Alemanha. Outras variações na 1ª geração, além do 6HP26, foram os modelos 6HP19 e 6HP32 para capacidade de torques menor e maior, respectivamente.

 

Em 2007, a segunda geração da série 6HP foi introduzida, com modelos 6HP21 e 6HP28. A 6HP34 foi planejada, mas nunca entrou em produção.

 

A última 6HP transmissão automática foi produzida pela planta Saarbrücken em março de 2014, depois foram produzidas 7.050.232 unidades. 

 

Abaixo temos tabela dos exemplos utilizados pelas montadoras BMW, Land Rover e Jaguar, apresentando o modelo e as diferenças da 1ª e 2ª gerações. (FIG. 2) 

O modelo utilizado nos veículos da marca Land Rover Discovery 3 ou 4 vai ser o ZF6HP26 ou ZF6HP28, tendo suas diferenças de geração, e algumas peças com uma grande diferença, como por exemplo o corpo de válvulas, que não pode ser intercambiado de um modelo para outro, conforme visto na (FIG. 3). 

Porém, os elementos de fricção, embreagem e freios continuam atuando da mesma forma, e podemos utilizar uma única tabela de aplicação de marcha para todos os modelos da 1ª e 2ª gerações. (FIG. 4) 

Ao avaliar o defeito na Discovery, vimos que temos uma patinação na aplicação da 4ª marcha, com a utilização da tabela de aplicação de marcha (FIG. 4) para auxiliar no diagnóstico. Na tabela, com a 4ª engatada, temos a aplicação de dois elementos de fricção, que são a Embreagem A e a Embreagem E, sendo que uma das embreagens patina na sua aplicação, como podemos ver na tabela, a embreagem A já está aplicada da 1ª até a 4ª, não tendo sintomas de patinação nessas outras marchas que estão aplicadas; a embreagem E inicia sua aplicação na 4ª até a 6ª, sendo a principal suspeita de fuga de pressão e que gera uma patinação. 

 

Identificando uma possível fuga de pressão na embreagem E, podemos realizar um teste de aplicação de ar, para simular a aplicação hidráulica de funcionamento, com auxílio de uma tabela de identificação de localização da posição de aplicação, podemos realizar o teste de estanqueidade conforme a Figura 5. 

 

 

AVALIAÇÃO

Na avaliação, identificamos um excesso de vazamento de ar no teste de aplicação da embreagem E e, após a desmontagem e uma inspeção detalhada, não encontramos fuga no pistão de acionamento e nem em seus anéis de vedação, mais sim uma grande folga na bucha de deslizamento e vedação do suporte do estator. (FIG. 6) 

 

Tendo como a solução do problema a substituição da bucha, instalando uma bucha de 1° com ferramentas específicas para o reparo. Após a montagem, realize o teste de aplicação de ar novamente, conferindo a estanqueidade correta. 

 

Sempre realize a manutenção substituindo o jogo de juntas, filtro e fluidos novos, para que tenha um serviço 100% garantido para oficina e o seu cliente.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
DESTAQUE NA REPARAÇÃO

Leia a versão digital de Novembro da Revista Reparação Automotiva.

18/11/2019

1/3
Please reload

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Please reload