CESVI Brasil explica as diferenças entre os câmbios manual, automático e automatizado

22/10/2018

 

 

Confira qual câmbio faz mais o seu estilo de direção

 

Na hora de comprar um carro existem diversas variáveis que podem chamar a atenção do motorista, mas uma questão que ainda gera dúvida é a escolha do sistema de transmissão. Por esse motivo, o CESVI BRASIL (Centro de Experimentação e Segurança Viária pertencente ao Grupo MAPFRE), reuniu e explicou como funcionam alguns modelos de câmbio.

 

No mercado, não faltam nomes e modelos diferente para o sistema de transmissão. "Existem três tipos de câmbios mais comuns: manual, automático e automatizado. Porém, nem todo motorista conhece ou sabe como é o seu funcionamento", comenta Emerson Feliciano, superintendente do CESVI/MAPFRE.

  • Manual – Esse modelo de câmbio é o mais comum no mercado brasileiro. Em geral, o câmbio funciona com engrenagens de diferentes tamanhos e que representam as respectivas marchas. Essas marchas são acionadas pela alavanca do câmbio e acopladas ao motor através da embreagem. É o sistema que mais tem "interação" entre o motorista e o veículo.

  • Automático – Esse câmbio se caracteriza por realizar as mudanças de marchas de forma automática, de acordo com a aceleração do veículo. Além disso, esse tipo de câmbio não utiliza embreagem e sim, um conversor de torque que é um sistema hidráulico que realiza o acoplamento do câmbio ao motor. Esse modelo de câmbio pode ter marchas de acordo com o número de engrenagens do câmbio ou pode ter características que utilizam polias cônicas, o que faz com que não exista as trocas de marcha, esse modelo é conhecido como CVT (continuous variable transmission ou transmissão de variação contínua).

  • Automatizado – O sistema é bem parecido com o câmbio manual, mas dispensa o pedal da embreagem, pois faz isso de forma automatizada. Neste caso, o câmbio e a embreagem são acionados por atuadores mecânicos que fazem a função do motorista para acionar a embreagem e trocar as marchas. A diferença para o motorista está nas respostas nas trocas de marcha, o que faz com que sejam feitas de forma mais lentas quando comparadas com as trocas do câmbio automático. Vale lembrar que existem câmbios automatizados que utilizam duas embreagens, o que muda o tempo das trocas de marchas, sendo muitas vezes mais rápidas que até os câmbios automáticos.

"Antes de escolher o carro, é fundamental que o motorista siga o seu perfil de condução, por exemplo, quem busca mais dinamismo, sem deixar de lado o conforto, o câmbio automatizado é uma porta de entrada para quem não quer trocar de marcha, sendo mais barata e econômica que o câmbio automático, mas esses câmbios possuem respostas mais lentas em retomadas e arrancadas. Para quem não abre mão de respostas mais ligeiras e maior conforto nas trocas de marchas, a melhor opção é o câmbio automático. ", finaliza Feliciano.

Para mais informações sobre o CESVI BRASIL, basta acessar o site www.cesvibrasil.com.br.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
DESTAQUE NA REPARAÇÃO

Leia a versão digital de Dezembro da Revista Reparação Automotiva.

10/12/2019

1/3
Please reload

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Please reload