Estalos podem indicar que a vida útil da junta homocinética chegou ao fim

31/08/2018

 

 

É preciso ficar atento a ruídos, pois caso a junta homocinética quebre, o carro ficará sem tração e não andará com a força do motor.

 

Responsável por transmitir de forma constante a força (torque) do motor e movimento às rodas, a junta homocinética merece especial atenção no que se refere à manutenção. “É fundamental o motorista ficar atento aos sinais que podem indicar algum problema com a junta homocinética, pois caso ela quebre, o veículo ficará sem tração, sendo impossível movimentá-lo pela força do motor”, comenta Jair Silva, gerente de qualidade e serviços da Nakata.  Ele também acrescenta: “Estalos ao ester&cce dil;ar as rodas enquanto acelera podem apontar desgaste na pista de trabalho das esferas da junta homocinética do lado da roda, ou seja, da junta fixa”.

 

Já do lado do câmbio, há a junta homocinética deslizante, que pode apresentar ruído em linha reta, ao acelerar e desacelerar o veículo. “É um tranco ocasionado por folga excessiva”, comenta.

 

Silva explica que um dos principais motivos do surgimento de estalos é provocado pela ruptura da coifa, que possibilita a entrada de sujeiras, como terra e areia, resíduos abrasivos que contaminam a graxa e geram desgaste excessivo sobre a pista de trabalho das juntas.

 

Para assegurar a durabilidade da peça, o gerente aconselha evitar alguns hábitos, como trancos em arrancadas, trafegar com excesso de carga e veículo desalinhado e excesso de torque na porca de fixação ao cubo.

 

É recomendável, ao fazer a revisão no sistema de suspensão, verificar as condições das juntas homocinéticas em oficina de confiança, bem como ficar também atento a ruídos com o veículo esterçado e em movimento, pois pode indicar que chegou o momento da reparação.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
DESTAQUE NA REPARAÇÃO

Revista Reparação Automotiva Edição 142

29/05/2020

1/3
Please reload

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Please reload