Clientes inadimplentes, como recuperar a dívida e se proteger

22/05/2018

 

 

Sem dúvida nenhuma, um dos percalços de muitos empresários pelo País é a questão da inadimplência de seus clientes

 

Cobrar dívidas é uma tarefa delicada que nem sempre se tem o retorno desejável. Para contornar esse contratempo, o consultor do Sebrae-SP, João Carlos Natal, dá algumas dicas.  

 

Prazo - Quanto mais rápida e eficaz a cobrança, menor será a dívida, portanto, deve ser iniciada com 3 até 10 dias de atraso no pagamento, tornando mais eficaz a recuperação do crédito e reduzindo os índices de inadimplência. 

 

O que diz a lei - A cobrança é considerada como abusiva, nos termos do artigo 42 do CDC. Na cobrança de débitos, o consumidor inadimplente não será exposto ao ridículo, nem será submetido a qualquer tipo de constrangimento ou ameaça. É importante a utilização/leitura do artigo 42 juntamente com o artigo 71 do CDC para uma melhor orientação sobre práticas abusivas de cobrança. 

 

Art. 71. Utilizar, na cobrança de dívidas, de ameaça, coação, constrangimento físico ou moral, afirmações falsas incorretas ou enganosas ou de qualquer outro procedimento que exponha o consumidor, injustificadamente, ao ridículo ou interfira com seu trabalho, descanso ou lazer: pena de detenção de três meses a um ano e multa.

 

Resguardo - Emitindo documento fiscal (nota fiscal) e/ou recebendo ou emitindo títulos de crédito (cheque, nota promissória, duplicata, cédula de crédito bancário) relativo à venda efetuada. A venda efetuada sem a nota fiscal e/ou título de crédito correspondente dificulta o procedimento de cobrança.

 

Cuidados adicionais - Nunca venda sem a emissão da nota fiscal, pois além de ilegal (crime fiscal), a empresa fica sem amparo legal para cobrar judicialmente o cliente inadimplente. E não se esqueça que a venda com cheques pré-datados também é uma forma de conceder crédito.

Outras considerações - Para lidar com a inadimplência, é preciso antes conhecê-la bem e saber quais os fatores que a ocasionaram. A partir daí, deve-se utilizar práticas preventivas para poder, dessa forma, controlá-la, com a utilização de ferramentas de controle financeiro, como por exemplo, “o controle das contas a receber”. A organização financeira faz toda a diferença para auxiliar na tomada de decisão (mais rápida) em relação a uma situação de inadimplência.

 

A venda efetuada sem critério, ou seja, sem a análise de crédito, simplesmente para constar a venda (“para dizer que vendeu”), normalmente traz para a empresa dois custos: a compra da mercadoria e a reposição dela no estoque, sem o devido recebimento da sua venda. Com certeza, ficando a operação mais cara, retirando a sua competitividade no mercado.

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
DESTAQUE NA REPARAÇÃO

Leia a versão digital de Novembro da Revista Reparação Automotiva.

18/11/2019

1/3
Please reload

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Please reload