TROCA DE PNEUS: PROCEDIMENTO SIMPLES QUE PODE APRESENTAR OPORTUNIDADE PARA REVISÃO DE IMPORTANTES COMPONENTES DO VEÍCULO

22/11/2017

Profissionais destacam cuidados com produtos e componentes que também interferem em seu desempenho

 

Um procedimento que a princípio parece não ter muitos segredos, a troca de pneus apresenta importantes

detalhes e relação direta com os componentes de suspensão, que muitas vezes precisam e devem ser substituídos. Portanto, merece atenção redobrada para garantir a segurança do veículo e dos passageiros.

Diante disto, os profissionais: Erivan Gomes da Silva, líder Técnico, e Cauê Aparecido Coutinho de Souza, Técnico; ambos da DPaschoal – Loja Washington Luiz, na capital paulista, explicam quais os principais problemas que geram desgaste nos itens e quais cuidados os reparadores devem se atentar.

 

Tempo e ticket médio

Em relação ao tempo de troca dos quatro pneus, somados o alinhamento e balanceamento, os técnicos comentam que a duração varia entre uma e uma hora e quinze, levando em consideração se a roda é de ferro ou liga leve (que tende a demorar mais). 

No quesito valor, cada pneu custa em torno de R$ 200,00 (modelo utilizado 1657013/ Aro: 13) e o alinhamento e balanceamento custam R$ 180,00 (valores estes cobrados na loja que incluem um alinhamento mais técnico – cambagem e cáster). Realizados estes serviços, o cliente tem garantia de seis meses, podendo ir a qualquer loja da rede em caso de um eventual problema.

 

Diferenciais DPaschoal

Erivan destaca que quando o cliente chega à loja os técnicos sempre analisam todos os pneus para verificar se há possibilidade de fazer rodízio, e também procuram equalizá-los caso não seja feita a troca completa, para que todos os lados rodem com a mesma quantidade de borracha dentro dos padrões permitidos.

Além disso, a loja tem compromisso com o meio ambiente, onde todos os pneus que não têm mais utilidade são enviados a uma empresa específica que recicla todo o material. Por isso, sempre na hora da substituição os profissionais incentivam os clientes a deixá-los na loja para assegurar uma destinação correta.

Outra importante ação da mesma é o investimento em capacitação profissional, onde realiza com frequência cursos de mecânica básica para todas as mulheres que quiserem participar e para os técnicos da rede DPaschoal.

 

Passo a passo da troca dos pneus no veículo Chevrolet Classic 1.0 4p Flex 2008/2009 (Número: 1657013/ Aro: 13)

 

 

 

Em primeiro lugar, verifique a condição dos pneus com o veículo no elevador. Esta análise deve ser realizada para identificar se é possível fazer rodízio, balanceamento, alinhamento e quais componentes de suspensão também devem ser substituídos. 

No pneu dianteiro/lado esquerdo, pode-se perceber que o veículo está desalinhado, o que consumiu parte do pneu (o limite de segurança do pneu, TWI, é 66mm). Também foram identificadas folgas na parte de suspensão (axial e terminal), o que representa que o alinhamento e balanceamento só poderão ser feitos com a troca dos demais componentes. A utilização desse pneu em solo molhado mesmo com os freios estando em boas condições não garante que o veículo pare, o que implica na segurança dos passageiros, além disso, outro fator importante é a fiscalização, com os pneus neste estado o condutor poderá ser multado, o documento poderá ser retido ou até mesmo o carro ser apreendido.

 

No pneu dianteiro/lado direito, nota-se que o arame está aparecendo. A falta de alinhamento, a correta calibragem e o furo com o prego fizeram com que o pneu tivesse esse desgaste tanto na parte interna, como externa. E os componentes de suspensão que devem ser trocados colaboraram para danificar ainda mais o pneu.

 

No pneu traseiro/lado direito, assim como os demais, o desgaste está presente, há várias micro rachaduras. Neste pneu em especial foi detectado que a cinta de aço foi rompida, o que gerou uma bolha na banda de rodagem. É importante verificar o prazo de garantia do fabricante que é de 5 anos (o pneu para o procedimento era de 2008). Mesmo que os pneus apresentem condições boas, é preciso trocar após esse período para garantir o seu correto funcionamento, pois o fabricante não o garante mais e as seguradoras também verificam esse detalhe na hora de cobrir ou não prejuízos.

 

No pneu traseiro/lado esquerdo, é visível reparar o desgaste, ressecamento e rachaduras, além do rompimento de uma das cintas. Outro fator que influencia nessa deformação é a falta de ação do amortecedor, que acaba causando ondulações na banda de rodagem do pneu.

No estepe deve ser verificado o prazo de validade e as condições de uso. Segundo os técnicos, esse pneu deve ser o melhor, pois em uma emergência é necessário. Neste caso, as condições do estepe parecem boas, contudo seu prazo de validade o inutiliza. No estepe sempre é importante realizar uma calibragem acima da qual está rodando no veículo, neste carro o indicado é 27 libras, então o estepe teria que ter no mínimo 35 libras.

 

Em relação à calibragem, tendo como base a indicação de 27 libras do fabricante, os técnicos orientam que este valor deve ser utilizado quando há poucas pessoas no veículo (de 2 a 3). Já quando o mesmo está completo o valor deve ser superior, os pneus dianteiros devem ter 30 libras e os pneus traseiros 36 libras.

Após avaliação, a retirada dos pneus é iniciada com as ferramentas necessárias. 

 

Sem a calota, verificou-se que as rodas dos veículos estavam em más condições e devem ser substituídas, as rodas podem ter sofrido impactos fortes, o que pode ocasionar trepidações no veículo mesmo com os pneus em bom estado.

 

 

 

Removidos todos os pneus, o profissional deve esvaziá-los para retirar as rodas. Para esse procedimento, ele deve utilizar o equipamento necessário e um lubrificante para não danificar tanto o pneu usado como o novo. 

 

Na parte interna do pneu foram detectados alguns consertos, vale destacar que quando há mais de dois reparos no mesmo local o ideal é trocar os pneus para não causar mais danos. Os técnicos também apontam que existe apenas uma área que pode receber consertos, lembrando que quando há cortes não existe reparo. Outra observação é quanto à sujeira de borracha que acumulou nos pneus, o que interferirá no balanceamento. 

 

Em cada troca deve-se substituir as válvulas. Cada perfil de roda vai um tipo específico. As válvulas devem ser substituídas antes de colocar os pneus novos.

 

Coloque os novos pneus nas novas rodas. Para isto, passe também o lubrificante para não danificá-las. Caso não seja usado o lubrificante, a roda poderá cortar o pneu, que irá estourar, causando um acidente. É importante estar atento ao lado certo do pneu na hora da montagem da roda para não causar instabilidade no veículo, o lado interno (ou inside) é para baixo e o lado externo (ou outside) é para cima. Calibre os pneus novos antes de colocá-los no veículo.

 

Coloque os novos produtos no veículo. É importante o profissional substituir todos os itens de suspensão antes de fazer o balanceamento e alinhamento para garantir o melhor desempenho de todos os componentes.

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
DESTAQUE NA REPARAÇÃO

Rede DPaschoal. Atendendo com produtos e serviços de qualidade

22/11/2019

1/3
Please reload

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Please reload