PRIMEIROS SOCORROS, EM CASOS DE PANES ELÉTRICAS

27/09/2017

Entenda como deve ser o correto procedimento da famosa “Chupeta”

e quais práticas devem ser evitadas para que não causem danos ao veículo

 

Dentre os problemas gerados pelas panes elétricas, é importante se atentar para a famosa transferência de carga através do procedimento conhecido por “chupeta”. Comum no dia a dia, esse processo deve ser executado da mesma maneira que os “Primeiros Socorros Médicos” são feitos, por um profissional bem treinado.

 

Em carros antigos era comum o reparador retirar a bateria e colocar uma nova com carga para funcionar o veículo, e depois retirar a mesma e deixar o carro funcionando, para após recolocar a bateria descarregada, deixar a mesma sendo carregada pelo próprio veículo. 

Ainda sendo um procedimento errado, os danos não eram sempre apresentados. No entanto, em veículos modernos, esta prática deve ser abolida, pois os componentes eletrônicos não suportam a sobrecarga que acontece em retirar a bateria do sistema. 

 

BATERIA – Para entender a relação entre carga e bateria, é importante saber que a bateria não é apenas o acumulador de energia, ela atua também como estabilizador de corrente elétrica. Quando a retiramos do circuito, o alternador automaticamente aumenta a tensão de carga, pois perde a referência de carga da bateria, assim os circuitos, que têm uma determinada tensão de trabalho pré-fixada em sua produção e uma margem de tolerância, a qual é ultrapassada neste momento, causam a queima de unidades de controle eletrônico, lâmpadas, equipamentos de som, etc. 

 

Em circuitos eletrônicos residenciais, temos a referência por frequência, Hertz, HZ. Quando você compra um equipamento, esta frequência vem informada em seu rótulo, ou etiqueta técnica. Neste caso, é porque falamos de corrente alternada, assim se eu ligo em alimentação elétrica um componente com frequência diferente da rede elétrica, vou queimá-lo. 

Por exemplo, quando tenho uma bateria ruim, ou um regulador de voltagem do alternador com problemas, pode acontecer em pequeno espaço de tempo de utilização a queima de lâmpadas. Quando o cliente chega à oficina e questiona o porquê de seu veículo queimar muito rápido as lâmpadas, devemos conferir a tensão com carro em funcionamento. Lembrando sempre que a tensão de bateria em stand by é de 12,6 volts e com veículo em funcionamento fica entre 13,4 e 14,8 volts. 

 

Ainda: devemos também verificar a situação da bateria, pois se a mesma estiver baixando fluido interno, a solução de bateria, a mesma não efetuará a função de estabilizador de tensão, e por estar com curto interno, ela não será uma referência para o alternador. 

 

PROCEDIMENTOS – Em caso de pane elétrica, para a transferência de carga é recomendado: 

1. Se for utilizar outro veículo, ambos devem permanecer com as chaves de ignição desligadas.

2. Os cabos de transferências devem ser de boa qualidade, então tenha cuidado, pois quanto menor a bitola do fio de cobre interno do cabo, pior será o trabalho. 

3. Ligue o veículo que fornecerá a carga e mantenha acelerado a 1500 rpm no máximo, por cinco minutos, isto permitirá fornecer uma carga inicial ao carro defeituoso, e depois dê partida no veículo socorrido.

4. Assim que o veículo funcionar, baixe a aceleração de carro que fornece a carga de socorro, retire as garras da bateria sem causar centelhamento e, em seguida, faça o mesmo com o veículo socorrido. 

 

SOCORRO COM MÓDULOS JUMPERS E AUXILIAR DE PARTIDA - No mercado nacional existem várias marcas e baterias, porém ambas devem estar com carga completa, ter uma corrente de partida alta e os procedimentos devem seguir o mesmo padrão do socorro com auxílio de outro veículo. Faça seu trabalho com técnica e segurança, para que a qualidade de seu serviço seja reconhecida por seus clientes. 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
DESTAQUE NA REPARAÇÃO

Gestão de fornecedores. Saiba o porquê é valiosa para a sua empresa

18/10/2019

1/3
Please reload

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Please reload