Aprendiz de mecânico ao fim do curso está apto para efetivação

31/08/2017

 

Em parceria com empresas do setor, o Centro de Assistência e Motivação de Pessoas forma mão de obra

 

Em 2015, o Centro de Assistência e Motivação de Pessoas, entidade sem fins lucrativos, administrada por membros dos Rotary Club São Paulo Sumaré, Oeste e Lapa, criou o curso de Aprendiz de Mecânico, por meio de projeto inscrito no Fumcad (Fundo Municipal da Criança e do Adolescente), com o objetivo de formar jovens reparadores. 

 

Damaris Lacerda, coordenadora geral, conta que o projeto começou com um parceiro do setor automotivo que estava preocupado com a falta de mão de obra. “Em conjunto, nós desenvolvemos um curso específico, o de mecânico de diesel, que teve a participação de treze jovens e, ao término, doze foram efetivados pela empresa”, recorda-se. Ao longo dos anos, o curso ganhou adaptações. 

 

E até a última formação (julho/2017), cem alunos participaram do curso de aprendiz automotivo e de estoque/mecânico, com atividades teóricas nas suas áreas. “As turmas são formadas de acordo com a absorção desses jovens nas empresas, novas turmas são formadas pelos novos contratados, e a nossa oficina está localizada na Lapa”, informa a coordenadora.

 

Na prática − A formação como aprendiz de mecânica e estoque acontece simultaneamente ao contrato na empresa. “Segundo a lei da aprendizagem, o jovem deve fazer um dia de atividades teóricas na instituição formadora. Essa formação tem a duração de 11 meses, tempo máximo estipulado pela lei para cada contrato de aprendizagem”, explica Damaris Lacerda.

Ainda de acordo com ela, “ao fim do seu contrato, consequentemente fim da formação, o jovem já está preparado para efetivação na empresa. No ano de 2015, tivemos 75% de taxa de efetivação dos jovens aprendizes nas empresas”.

 

 

Conteúdo − O curso tem o módulo básico exigido pelo Ministério do Trabalho e Emprego e o módulo específico para a formação dos jovens reparadores. E eles ficam capacitados a utilizar e fazer leituras de medições com ferramentas especiais (paquímetros e comparadores).

 

Segundo Marcelo Oliveira, mobilizador de recursos, os alunos aprendem a diagnosticar defeitos mecânicos e/ou elétricos, fazer a remoção para análises das peças quando da desmontagem de equipamentos e, depois de recuperadas, aprendem a instalá-las. “Fazem orçamentos, e a troca de óleo e filtros com descarte correto.” 

 

O curso é subdividido em módulos, em que o jovem fica na empresa quatro dias com prática laboratorial e um dia por semana na entidade para a teoria básica e específica.

 

Critérios − Para participar, Damaris Lacerda explica que os interessados precisam ter idade entre 18 e 22 anos e ter feito a Formação Básica Para o Mundo do Trabalho, que tem a duração de três meses. “E também ter passado no processo de seleção de alguma de nossas empresas parceiras” conclui. 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
DESTAQUE NA REPARAÇÃO

Leia a versão digital de Novembro da Revista Reparação Automotiva.

18/11/2019

1/3
Please reload

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Please reload