CARROS FRANCESES, E AS SUSPENSÕES PROBLEMÁTICAS

02/08/2017

Durante anos, esses modelos ficaram conhecidos nas oficinas pelos  defeitos frequentes. Mas as novas gerações estão mais bem adaptadas 

 

Não é de hoje que ouvimos dos reparadores que a suspensão dos veículos franceses (Renault, Peugeot e Citroën), apesar do tempo em que estão no Brasil, ainda não é considerada suficientemente forte para aguentar as nossas ruas, avenidas e rodovias. 

 

Para isso, conversamos com Alberto Martinucci, proprietário da Motor Fast, oficina localizada na zonal Sul da capital paulista, especializada em veículos franceses.  Ele conta que “muito dessa imagem se dá por conta desses modelos terem uma suspensão mais macia, que sofre mais com o nosso piso”. 

Ainda segundo o especialista, “das três montadoras, a Renault é quem tem mostrado uma melhor evolução, haja vista o Sandero, que atualmente figura no ranking dos dez veículos mais vendidos do país e conta com boa avaliação por parte dos seus donos. Sobre a Peugeot e a Citroën, a suspensão dianteira já apresenta uma durabilidade maior com bandeja, batente e amortecedores mais resistentes”, diz.

 

Reparos –  O experiente Martinucci afirma que, no início das importações, “não eram raras as vezes em que esses veículos chegavam à sua oficina com a suspensão em frangalhos, com amortecedores, buchas, bandejas e bieletas  estouradas. Hoje, felizmente, as montadoras estão cada vez mais investindo em tecnologia, levando em conta a precariedade das ruas e estradas do Brasil”.

Ele lembra que, quando começou a consertar veículos franceses, em 1997, o cenário era outro. “As pessoas evitavam comprar porque as peças eram caras e você acabava caindo em concessionária, e o valor da manutenção também era alto. Esses carros evoluíram e é possível encontrar peças a um custo bastante competitivo”.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
DESTAQUE NA REPARAÇÃO

Leia a versão digital de Dezembro da Revista Reparação Automotiva.

10/12/2019

1/3
Please reload

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Please reload