NOVA GERAÇÃO DO X1. PROBLEMA CRÔNICO DE SUSPENSÃO

20/06/2017

Fácil de ouvir, mas difícil de detectar. Reparador conta como 

conseguiu diagnosticar e solucionar os estalos no veículo

 

Apesar de ser um sonho de consumo para muitos brasileiros, a nova geração do BMW X1 está “tirando o sono” dos reparadores por causa dos estalos no seu sistema de suspensão.

Alberto Trivellato, da Suspentécnica, oficina localizada na cidade de São Paulo, conta que atendeu uns quatro casos de veículos seminovos que apresentavam o mesmo defeito. “Os clientes relatavam que, no momento em que passavam por uma lombada ou valeta, situação que exige muito da suspensão do veículo, era ouvido um estalo muito forte na parte de baixo. A princípio, quando realizamos o teste, achamos que o barulho era do quadro da suspensão. Mas, na verdade, os ruídos vinham das buchas posteriores das bandejas da suspensão dianteira”, recorda o especialista.

O reparador explica que essas buchas possuem uma composição diferente da maioria dos carros, pois são metade de nylon e metade de borracha em uma bucha com capa de metal. “Essa bucha é parecida com a da Mercedes-Benz, mas não é a mesma e não existe uma solução simples para esse trabalho”. Por isso ele já avisa: “A manutenção corretiva é cara, a peça chega a custar mais de R$ 2.000,00, pois a montadora não vende as buchas separadas da bandeja, mas somente a bandeja completa”.

 

Diagnóstico - Para chegar à solução, Trivellato fez um teste dinâmico com o veículo em condições que exigissem um grande esforço da suspensão e chegou a pensar em realizar outros procedimentos para tentar resolver o problema, como soltar o quadro de suspensão e reapertar, examinar se havia algum ponto de solda errado e examinar todo o painel dianteiro. Só depois de muitos estudos que foi possível identificar a falha com segurança.

O primeiro caso, de acordo com o reparador, veio de um cliente que já havia levado à concessionária o veículo com 8 mil quilômetros por duas vezes. “Na primeira vez, a autorizada disse que precisava retorquear a suspensão. Na segunda, retirou os amortecedores, examinou as molas e afirmou ter resolvido o problema. Após isso, ao persistir o barulho, o cliente desistiu de procurar a rede autorizada e chegou até nós. No começo tivemos toda essa dificuldade, mas hoje prontamente conseguimos identificar o problema quando esse modelo de veículo chega na nossa oficina”, completa Trivellato.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
DESTAQUE NA REPARAÇÃO

Leia a versão digital de Novembro da Revista Reparação Automotiva.

18/11/2019

1/3
Please reload

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Please reload