VEÍCULOS SEM EMISSÕES, O ETANOL GANHA UMA NOVA FORÇA

01/06/2017

 

 

Até hoje, os biocombustíveis são a alternativa mais realista ao petróleo, e 

algumas montadoras apostam que eles serão a melhor solução para o futuro 

 

Em poucas décadas, a maioria dos veículos terá tração elétrica. A eletrificação dos motores é um caminho sem volta para muitas montadoras de automóveis. A dúvida é, no entanto, saber qual fonte de energia utilizar para abastecer as baterias.

Na visão da Nissan, há quatro opções: os veículos puramente elétricos, os híbridos com um motor a combustão de baixa cilindrada (usado como gerador), a célula a combustível de hidrogênio e a célula a combustível abastecida por biocombustíveis, como o etanol.

Os veículos com célula a combustível ainda estão em fase de estudo de viabilidade econômica. No caso do hidrogênio, a grande dúvida é: como obter o gás de uma forma limpa e barata? O hidrogênio é o gás mais comum no planeta, mas separá-lo ainda custa muito caro.

Uma proposta que começa a ganhar adeptos é a célula a combustível movida por biocombustível. A Nissan acaba de apresentar no Brasil um protótipo equipado com essa tecnologia. Trata-se de uma van NV200, adaptada por engenheiros brasileiros e japoneses.

 

TECNOLOGIA - O veículo escolhido é equipado com um motor elétrico e um conjunto de baterias de lítio de 24 kW/h. Recebeu um tanque de 30 litros de etanol e uma célula SOFC de 5 kW (sigla em inglês para célula a combustível de óxido sólido) capaz de processar o etanol de forma direta.

O gerente da Nissan, Ricardo Abe, comenta que, dependendo do mercado, em vez de etanol pode ser utilizado gás natural ou outros biocombustíveis. “No Brasil escolhemos o etanol. É um combustível encontrado em todo o país”, pondera.

Ainda sem preço e nem prazo para comercialização no Brasil e no mundo, os veículos movidos com células a combustível vão precisar evoluir muito antes de ganhar as ruas. Mas os primeiros resultados são bastante animadores. 

Segundo a Nissan, com 30 litros de etanol comum é possível rodar cerca de 600 km com a Nissan SOFC em circuito urbano. Um dos segredos da van para alcançar essa média é o sistema de recuperação de energia nas desacelerações e frenagens.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
DESTAQUE NA REPARAÇÃO

Leia a versão digital de Dezembro da Revista Reparação Automotiva.

10/12/2019

1/3
Please reload

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Please reload