MECÂNICA NO SANGUE - Amor pela vida e pelos carros

Criado dentro de uma oficina, reparador carioca dedica sua vida a desvendar os segredos da mecânica e ensinar tudo o que sabe 

 

A vida profissional de José Luiz Guimarães começou assim que aprendeu seus primeiros passos. Desde pequeno seguia o pai, Jorge Guimarães, na oficina da família. Morava no bairro de Campo Grande, na cidade do Rio de Janeiro. Ao invés de brinquedos, o menino gostava mesmo dos carros, tratores e caminhões dos clientes.
Aos 61 anos, José Luiz tem muito orgulho em ser um reparador automotivo. “Devo ao meu pai tudo o que sei. Ele tinha uma grande paciência e me repassou todo o seu conhecimento sobre a profissão. Os meus irmãos tiveram essa mesma aprendizagem, mas só eu resolvi seguir o meu pai. Nunca me arrependi da escolha que fiz”, revela.

 

REFERÊNCIA - Proprietário da ABC da Mecânica, o reparador é um pioneiro em injeção eletrônica e câmbio automático. “Vi meu pai mexer em muitos carros americanos com essas transmissões. Eu fui um dos primeiros a consertar o Gol GTi. Quem já regulou DKW, com três bobinas e três platinados, encara qualquer coisa”, brinca. 

Na cidade do Rio de Janeiro, José Luiz é conhecido por fazer reparos até pelo telefone. “Aprendi com o meu pai a ouvir os carros. Então, quando um cliente me liga e diz que está parado no meio da rua, eu procuro ajudar de todas as formas. Na maioria das vezes, as dicas funcionam e ele consegue sair daquele problema”, explica. 
Além de trabalhar na oficina, estudar a tecnologia automotiva é outra grande paixão do reparador. Ele sempre está presente nos principais treinamentos realizados no estado e não pensa duas vezes antes de encarar uma viagem do Rio a São Paulo para participar de algum curso. Este ano, organizou uma caravana para visitar a Automec.

 

PROFESSOR - Longe de ter o glamour das grandes oficinas, José Luiz optou por ter um salão menor, mas com um espaço para organizar atividades didáticas para os colegas de profissão. “Montei tudo com os meus recursos. Hoje tenho uma sala de aula com cinquenta lugares, uma biblioteca e até sistema de videoconferência”, comemora.
Atualmente, o centro de treinamento da ABC da Mecânica organiza palestras em parceria com os fabricantes de autopeças e tem um concorrido curso de mecânica para mulheres, com aulas teóricas, práticas e apostila. Por todas as suas iniciativas, o reparador já recebeu uma série de homenagens de entidades e empresas do setor.

 

FUTURO - Segundo José Luiz, o reparador precisa sempre olhar para o futuro. “Quem não conhece as tecnologias que estão sendo implantadas nos veículos ficará fora do seu tempo. Não há como não estudar e ficar alheio ao que existe de novo. Eu estou sempre me atualizando, por isso que exerço a profissão até hoje”, destaca.
Assim como herdou a oficina do pai, o mestre carioca já tem o seu sucessor, o filho caçula. “Será a terceira geração a dar continuidade à tradição do meu pai. Apesar dos meus 61 anos, quero seguir na profissão por muito tempo, eu tenho a essência da mecânica no sangue. Mas sei que não sou eterno e quero que essa paixão siga adiante”, conclui.
Ao longo dos anos, o pioneiro carioca também teve a oportunidade de visitar os principais fabricantes nacionais de veículos e autopeças.  Conhecer essas indústrias por dentro é fascinante. Passamos a entender uma série de detalhes que, no dia a dia, nunca poderíamos imaginar, ressalta. 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
DESTAQUE NA REPARAÇÃO

Gestão de fornecedores. Saiba o porquê é valiosa para a sua empresa

18/10/2019

1/3
Please reload

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Please reload