Do avião ao autônomo, o desafio de parar com segurança

 

Graças à eletrônica, os freios antibloqueio evoluíram tanto que, no futuro, os carros poderão até dispensar o motorista.

 

Obrigatórios no Brasil desde 2014, os freios ABS são atualmente um dos principais sistemas de segurança da indústria automobilística mundial. Quando o aviador francês Gabriel Voisin criou a primeira versão conhecida, em 1929, nunca poderia imaginar que a tecnologia iria tão longe. 


A primeira patente foi registrada pela Bosch, sete anos depois de Voisin. Mas foi na Segunda Guerra Mundial que o sistema ganhou notoriedade, ainda no campo da aeronáutica. Em 1952, foi lançado o famoso sistema Dunlop-Maxaret, inteiramente mecânico, para o uso em aviões.


Na década de 1960, algumas montadoras passaram a oferecer a tecnologia, em modelos como o Ferguson P 66, o Ford Continental Mk III e o Jensen FF. Porém, não era muito eficiente, uma vez que chegava a reduzir a pressão de frenagem em todas as rodas.

 

ELETRÔNICO - Nos anos seguintes, a eletrônica começou a ser aplicada nos veículos. O freio antibloqueio passou a ser conhecido como ABS e ficou bem mais sofisticado. O problema é que ainda era um elemento muito complexo, grande e pouco confiável.


Em 1978, graças aos avanços da microeletrônica digital, a Mercedes-Benz e a BMW passaram a equipar os luxuosos sedans da Classe S e Série 7, respectivamente, com um sistema menor e mais confiável, o ABS 2, que pesava 6,3 kg. A geração atual, a nona, tem apenas 1,1 kg.


Os benefícios da tecnologia são muitos. Atualmente, com o uso de novos softwares e avançadas centrais de processamento, ler a velocidade das rodas, compará-las e acionar a unidade de controle da pressão do fluido hidráulico são tarefas muito fáceis. 


Ainda é possível adicionar dezenas de outras informações e, em questão de milésimos de segundo, corrigir a rota, facilitar a saída em rampa, frear em casos de emergência, controlar a velocidade e, num futuro bem próximo, até ajudar a dirigir os novos veículos autônomos.
 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
DESTAQUE NA REPARAÇÃO

Leia a versão digital de Novembro da Revista Reparação Automotiva.

18/11/2019

1/3
Please reload

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Please reload