NA HORA DA TROCA - Muito cuidado com aplicação e limpeza

 

Bombas de água, termointerruptores e sensores de temperatura costumam ser muito fáceis de substituir. Mas é importante ficar atento a alguns detalhes

 

Na assistência técnica das marcas Urba e Brosol, os erros de aplicação são os “campeões” entre as ligações. Hoje em dia, com a frota cada vez mais diversificada, é preciso comprar a peça na especificação exata para cada veículo. Aquelas velhas conversas de que “essa também serve lá” ou “é mais barata e monta igual” sempre acabam em prejuízo.


Na linha de bombas de água, o consultor técnico José Gorgone também alerta que ainda existem na frota muitos carros equipados com modelos antigos de bombas, que ainda usam a primeira geração de rotores de plástico, presos ao eixo com anéis metálicos redondos. “Essas peças costumam dar problemas intermitentes depois de alguns anos”, explica. 


Segundo Gorgone, a falha dessa tecnologia é que, quando o motor aquecia, o rotor dilatava e começava a girar em falso sobre o anel. O líquido de arrefecimento não circulava da maneira correta e o carro fervia. Até o veículo ser socorrido e levado à oficina, a temperatura baixava e o problema desaparecia, dando uma grande “dor de cabeça” para os reparadores.


Nos modelos atuais, os materiais utilizados nos rotores dilatam bem menos, e o anel redondo foi substituído por um sextavado, evitando que o eixo gire em falso. Além disso, foram incorporadas travas de segurança para que, mesmo que haja uma grande dilatação, o anel metálico nunca solte completamente do rotor.

 

SENSORES - A Urba e a Brosol também acabam de lançar uma nova linha de sensores, compostos por termointerruptores, sensores de temperatura para o painel de instrumentos e sensores para o sistema de injeção eletrônica. 


Na linha de termointerruptores, o grande cuidado é comprar a peça exata para o veículo. Há uma grande variedade de aplicações, que consideram a geração do motor (que costuma evoluir ao longo dos anos) e os acessórios do carro, principalmente o ar-condicionado.
“Se a ventoinha parar de funcionar, nunca condene o termointerruptor sem realizar uma boa avaliação. Na maioria das vezes, o problema está nos conectores, que ficam frouxos ou oxidados, ou até no chicote. É preciso investigar com calma”, ressalta Gorgone. 

 

No caso do sensor de temperatura do motor, responsável por informar o sistema de injeção eletrônica, além dos cuidados com a aplicação, nunca reaproveite o anel de vedação ou use outro tipo de junta. Como é uma peça de precisão, sua leitura ficará prejudicada.
 

DICAS DO TÉCNICO

 

O técnico também dá outras dicas importantes na hora de trocar uma bomba de água:


1-Verifique se a aplicação do produto está de acordo com o veículo. Dependendo da peça, o encaixe é o mesmo, mas o resultado, não;


2-Ao retirar a bomba, faça uma limpeza na superfície do bloco do motor removendo qualquer resíduo existente. Isso é fundamental para evitar vazamentos pela junta;


3-Nunca reaproveite a vedação. A bomba sempre vem com uma vedação nova. Então, por que economizar e correr o risco de perder todo o trabalho?;


4-No caso de bombas acionadas pela correia dentada, tenha muito cuidado na hora de refazer o sincronismo do comando;

 

5-No encerramento do serviço, após completar o reservatório com o líquido de arrefecimento, faça a sangria do sistema, retirando todo o ar.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
DESTAQUE NA REPARAÇÃO

Leia a versão digital de Novembro da Revista Reparação Automotiva.

18/11/2019

1/3
Please reload

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Please reload