fbpx

Como trocar os sensores de combustível do Mitsubishi Pajero TR4 2.0 flex

amortecedor monroe
Monroe lança amortecedores para Toyota e Renault
21 de setembro de 2021
Uniflex apresenta nova linha de mangueiras automotivas
22 de setembro de 2021

Como trocar os sensores de combustível do Mitsubishi Pajero TR4 2.0 flex

O reparador deve remover o tanque e realizar a substituição dos dois sensores para que não ocorrer retorno

A Mitsubishi iniciou a produção do Pajero TR4 no Brasil em 2002 na fábrica de Catalão, localizada em Goiás. De lá para cá, o modelo ganhou diversas versões e, também, motorização flex no ano de 2010, quando saia da linha de produção com o motor 2.0 flex, que entrega 140 cv e 22,03 kgfm de torque com etanol e 135 cv e 19,99 kgfm de torque com gasolina. A transmissão acoplada neste trem de força era manual de cinco velocidades ou automática de quatro marchas.

O carro deixou de ser fabricado por aqui em 2015, quando deu lugar para o novo crossover da marca, o ASX, que tem uma plataforma mais moderna que o seu antecessor. Portanto, com seis anos fora de linha o modelo já é uma constante nas oficinas independentes, o que tem gerado dúvidas na hora de fazer a manutenção correta em diversos equipamentos do veículo, como a substituição dos sensores de combustível do Mitsubishi Pajero TR4 2.0 flex ano 2010/2011.

Por isso, para ajudar o reparador neste procedimento, a Revista Reparação Automotiva contou com a colaboração de Roberto Montibeller do Centro Automotivo High Tech e, também, de Alan Diego técnico da DS Indústria de peças automotivas, que fornece peças para montadoras e exporta para mais de 50 países. Acompanhe como fazer a troca corretamente dos sensores de combustível.

O procedimento pode parecer simples, mas não é, uma vez que é preciso remover o tanque de combustível para fazer a manutenção dos componentes, como explica Roberto Montibeller: “Não tem outra maneira, se for trocar os dois sensores o correto é baixar o tanque”.

Já Alan Diego fala que é importante substituir os dois sensores: “O ideal é trocar, pois se fizer apenas de um dos lados o cliente voltará à oficina para realizar a troca do outro sensor que não havia sido substituído, já que o carro voltará a apresentar problemas por não ter trocado os dois sensores”.

Ferramentas Utilizadas

Para realizar o reparo é necessário utilizar uma chave de boca 12 e 14 mm, chave Torx de 25 mm e chave L de 12 mm. Elas são necessárias para remover a proteção do escapamento, da cinta e das mangueiras de conexão. Além destas, também é utilizada uma ferramenta especificamente feita para fazer a remoção da porca de fixação do módulo de combustível.

Troca dos sensores de combustível

1. Antes de remover o cardan é importante fazer uma marcação para não ter problemas com balanceamento.

2. Soltar a proteção do tanque de combustível e, também, a da cinda e das mangueiras de conexão

3. Soltar a abraçadeira do bocal do enchimento e do respiro.

4. Desconectar a bomba de combustível.

5. Remover os parafusos de fixação do tanque de combustível. 

6. Soltar a mangueira de conexão do combustível, remover a cinta e desconectar o tanque do bocal para que possa baixá-lo sem nenhum problema.

7. Tirar a sujeira do tanque antes da remoção dos sensores. Esse procedimento é necessário para que nenhuma poeira ou pequenas pedras caiam dentro do tanque de combustível. Para fazer a limpeza basta utilizar um pincel.

8. Desconectar as mangueiras e os chicotes. Para fazer isso, utilizar uma chave de fenda e retirar o conector elétrico da tampa do módulo de combustível.

9. Repetir esse procedimento com o outro módulo de combustível.

10. Utilizar a ferramenta chave de bomba combustível ajustável, conhecida como speedwow. Após a remoção do conjunto, retornar a porca de fixação no local, para evitar uma possível deformação do tanque.

11. Com o módulo de combustível na bancada, fazer a troca do sensor de nível de combustível. Aqui é importante destacar que a DS conta com o sensor de nível 23129 para o Mitsubishi Pajero TR4 2.0 flex ano 2010/2011.

12. Fazer a remoção do sensor danificado. Utilizar uma chave de fenda para auxiliar no reparo.

13. Instalar o novo sensor no copo da bomba. A peça deve ser encaixada de baixo para cima. Além disso, o reparador deve prestar atenção sempre nos guias da peça, para fazer o encaixe perfeito.

14. Utilizar um produto para limpar os contatos nos terminais do sensor de nível. Ao fazer isso evitará uma possível oxidação.

15. Encaixar os terminais no sensor de nível de combustível.

16. Com um multímetro na escala de 2 mil Ohms (2kΩ), testar o sensor. O aparelho deve ser colocado na escala de 2 mil Ohms ou 2k a depender do equipamento que for utilizado.

17. Plugar o multímetro na flange da tampa. Com isso, deve apresentar a marcação de 177 Ohms com tanque vazio e de 8 Ohms com tanque cheio conforme o produto da DS indica na embalagem.

18. Tirar a porca de fixação do tanque de combustível.

19. Colocar o módulo no local correto. Neste caso, passar primeiro o sensor de nível pelo buraco da tampa de combustível. É preciso sempre fazer esse procedimento com cuidado para não danificar a peça.

20. Encaixar o módulo com uma nova guarnição de 1450.

21. Fixar a porca de fixação com a ferramenta específica.

22. Encaixar os conectores ao módulo de combustível.

23. Repetir esse mesmo procedimento com o outro módulo de combustível.

24. Voltar o tanque de combustível para a posição. Neste caso, é preciso sempre prestar muita atenção para encaixar o bocal e, também, o respiro.

25. Fazer o aperto das abraçadeiras.

26. Conectar o chicote da bomba e do sensor de nível do combustível.

27. Fixar o cardan com uma chave de 12 e 14 mm.

Diagnóstico

Antes de entregar o carro para o cliente, dar a partida no motor e verificar o funcionamento dos sensores. 

Assista o vídeo deste passo a passo no canal TV Reparação Automotiva

Mais informações:
DS Indústria de Peças Automotivas Tel: (17) 3227-1446
Centro Automotivo High Tech: Tel: (11) 3864-0944

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *