David Catasiner - Diretor Comercial e de Marketing da ZEN S.A comenta como a pandemia afetou o setor

David Catasiner – Diretor Comercial e de Marketing da ZEN S.A comenta como a pandemia afetou o setor

eletronica embarcada
Eletrônica Embarcada: A potência do seu carro está aqui!
15 de julho de 2021
VW e-delivery
Volkswagen Financial Services oferece condições exclusivas para o novo VW e-Delivery
16 de julho de 2021

David Catasiner – Diretor Comercial e de Marketing da ZEN S.A comenta como a pandemia afetou o setor

David Catasiner - Diretor Comercial e de Marketing da ZEN S.A

A Revista Reparação Automotiva convidou executivos do setor para uma série de entrevistas especiais e nessa semana conversamos com David Catasiner, Diretor Comercial e de Marketing da Zen S.A. Tendo 25 anos de experiência no segmento, passando por empresas como PSA Peugeot Citroën, Bosch e Thyssenkrupp chegou a ZEN S.A há 5 anos e entre os assuntos abordados, comentou como a empresa se adaptou tanto internamente, quanto externamente com as dificuldades do COVID-19.

Reparação Automotiva: Desde o início de 2020, o Brasil vive com restrições por causa da Covid-19. Como a empresa reagiu e quais os protocolos criados para se manter ativa?

David Catasiner: Nos primeiros sinais da pandemia no Brasil, em março de 2020, a ZEN adotou uma postura de prudência total, com foco na segurança dos colaboradores. Paramos a nossa fábrica durante 2 semanas para implementar os protocolos sanitários conforme recomendações da OMS, e Ministério da Saúde, em conformidade também com as diretrizes estaduais de Santa Catarina. Uma vez garantida a saúde de todos, retomamos as operações aos poucos, aprendendo a conviver com essa nova doença, e adequando a nossa capacidade à demanda do mercado, que entrou numa queda vertiginosa no segundo trimestre, principalmente no segmento das vendas às montadoras.

RA: Quais os efeitos da pandemia nas exportações da ZEN S.A.?

DC: Inicialmente, tivemos uma queda abrupta do nosso volume, uma vez que vários mercados entraram em lockdown. No entanto, aos poucos, o volume foi retornando para uma normalidade no último trimestre do ano. O mercado norte-americano demonstrou interesse em substituir produtos da China e a ZEN soube aproveitar essa oportunidade para aumentar sua participação de mercado nessa região.

RA: E o segmento de reposição de peças como um todo, reagiu da maneira correta nas imposições do distanciamento social?

DC: A impossibilidade de viajar e de visitar os nossos Clientes durante a pandemia dificultaram um pouco essa análise, mas de forma geral, percebemos que todos os elos da cadeia se comportaram de forma exemplar. O varejo, quando foi necessário, suspendeu as atividades de balcão, e de atendimento ao público, atendendo somente no regime de entregas. As oficinas adotaram a máscara, higienização do local de trabalho, e dos veículos. Enfim, todos vestiram o jaleco da responsabilidade, e da cidadania!

RA: Quais os segmentos da cadeia de reposição foram mais afetados?

DC: Primeiramente, vamos comemorar que a reposição foi considerada como serviço essencial em todo o Brasil, e em quase todo o mundo. Afinal, os caminhões, as vans, e os carros que transportam os alimentos, os remédios, e o pessoal de saúde, não poderiam parar, e precisavam de manutenção. O Brasil é movido sobre rodas, e as autoridades entenderam isso desde o primeiro dia. Somos sortudos perto de outros setores como turismo, restaurantes, entre muitos outros que sofreram bem mais que nós.

No entanto, isto não quer dizer que a reposição passou ilesa. Os elos menos capitalizados da cadeia, em particular as pequenas oficinas independentes, sofreram com uma perda de caixa. A ZEN ajudou o máximo que pôde durante o pico da crise, dilatando prazos de pagamento para seus distribuidores, que por sua vez, deram assistência ao varejo, e às oficinas. Eu pessoalmente fiquei mais uma vez impressionado pela resiliência, e pelas parcerias que existem em nosso mercado de reposição.

RA: Qual a importância dos reparadores automotivos para a reposição independente?  

DC: O reparador é uma das peças mais importantes da reposição independente. Ele é o Cliente final, ele influencia muito a decisão de compra, ele está a cada vez mais capacitado e atualizado. Ele é um guerreiro que, além de gerir seu negócio em um cenário econômico instável, tem que se atualizar o tempo inteiro sobre as novas tecnologias, e investir no seu negócio para se manter relevante e competitivo.

RA: Quais as ações que a empresa realiza de treinamentos e qualificação para os reparadores independentes?

DC: Nesses últimos anos, a ZEN tem se aproximado dos reparadores, e se esforçado para entender, e atender às suas necessidades. Criamos a Liga do Reparadores, que é uma comunidade apoiada pela nossa empresa, e com a qual temos uma relação de ganha-ganha maravilhosa, onde orientamos o público reparador não somente sobre nossos produtos e aplicações, como também em boas práticas de negócio dentro das oficinas. Tudo em uma linguagem baseada na própria vivência deles, diretamente de reparadores que são vistos como referência.

A empresa vinha desenvolvendo uma série de palestras técnicas para essa comunidade, e passou em formato digital a partir da pandemia. Publicamos regularmente dicas, e vídeos técnicos para atualizar, e treinar o nosso Cliente reparador.

RA: Elas evoluíram neste período de distanciamento?

DC: Sem dúvida! A digitalização permitiu um acesso irrestrito a todo o nosso conteúdo para qualquer reparador que acompanha os nossos canais digitais como YouTube, Instagram, Facebook, etc.

RA: As metas estipuladas para o primeiro semestre deste ano foram alcançadas?

DC: Esse é mais um motivo de comemoração do time ZEN, conseguimos alcançar, e até ultrapassar as nossas metas. Para nós, esse é um motivo de orgulho, e principalmente de convicção que estamos no caminho certo, trazendo a cada vez mais produtos de alta qualidade para os nossos Clientes. Os reparadores sabem que a ZEN vende no segmento original, e que entrega o mesmo nível de qualidade na reposição.

RA: E no segundo semestre a expectativa é de crescer? Em qual proporção?

DC: Ultimamente, tem sido muito difícil fazer previsões de mais de 2 ou 3 meses! No entanto, o sentimento é muito positivo, e acreditamos que teremos um segundo semestre de 5% a 10% melhor que o primeiro. Estamos todos na torcida que a vacinação irá acelerar, e que com o controle da pandemia em nosso país, os negócios poderão funcionar a todo vapor, e a economia continuar seu percurso de recuperação da atividade.

RA: Deixe uma mensagem para o reparador independente.

DC: Continue se atualizando, e investindo no seu negócio. Ter equipamentos de ponta, gestão, ponto de venda limpo e organizado, e treinar os seus colaboradores, são fatores de sucesso muito importantes. Conte com a ZEN para te apoiar no seu trabalho, e acompanhe os nossos lançamentos, que irão se acelerar muito no segundo semestre!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *