Novas tecnologias na indústria automotiva para redução de emissão de gases

Novas tecnologias na indústria automotiva para redução de emissão de gases

Câmeras frontais da ZF agregam valor aos veículos produzidos no Brasil
Câmeras frontais da ZF agregam valor aos veículos produzidos no Brasil
22 de abril de 2021
Motorservice tem lançamentos da Pierburg na linha de bombas para veículos leves
Motorservice tem lançamentos da Pierburg na linha de bombas para veículos leves
23 de abril de 2021

Novas tecnologias na indústria automotiva para redução de emissão de gases

Novas tecnologias na indústria automotiva para redução de emissão de gases
Eletrificação, combustíveis alternativos e downsizing de motores são algumas das soluções que podem melhor a eficiência energética dos veículos.

Reduzir a emissão de gases, limitar o aumento da temperatura do planeta em 2ºC e diminuir o aquecimento global, compromisso firmado por 195 países e a UE na Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP21), tem sido também objetivo a ser alcançado pela indústria automotiva, que tem fabricado veículos mais eficientes. Na Europa em 2030, a emissão de CO2 deve chegar a 59 g/km nos veículos.  “Tecnologias como os veículos elétricos, híbridos e a hidrogênio são alternativas aos movidos a combustível fóssil. No entanto, apesar dessa necessidade de transição tecnológica, é preciso considerar também, no Brasil, os combustíveis renováveis, como o etanol e biodiesel, deverão manter os motores a combustão como tecnologia aliada a mobilidade sustentável”, afirmou o Eng° Everton Lopes, gerente executivo do Centro Tecnológico Mahle Metal Leve e diretor Executivo da AEA – Associação Brasileira de Engenharia Automotiva, no dia 7 de abril, quando apresentou o tema “Eficiência energética e emissões de gases na indústria automotiva”, no “Abra Talks”, evento virtual mensal da Abrafiltros – Associação Brasileira das Empresas de Filtros e seus Sistemas – Automotivos e Industriais.

Haverá espaço para a eletrificação, os combustíveis alternativos e para as melhorias do motor a combustão. “A indústria automotiva seguirá com seus esforços para atingir melhores resultados com relação à diminuição da emissão de gases e também proporcionar maiores benefícios ao Planeta, à saúde, qualidade de vida e conforto das pessoas, investindo mais em motores de menores cilindradas (3 cilindros), injeção direta, motores turbos, transmissão automática, eletrônica embarcada e sistema start/stop e sistemas eletrificados”, comentou. Para melhor eficiência energética estão surgindo novas tecnologias em óleos de baixa viscosidade de motor e câmbio, indicador de troca de marcha, alterações aerodinâmicas na carroceria e peso, direção elétrica, maior número de marchas, redução de resistência de rolamento em pneus “verdes”, novas famílias de motores, bombas d’água e de óleo eletrificadas, entre outras.

Ressaltou também que é preciso estar atento a toda cadeia quando se fala em emissão de CO2 e não somente à utilização do veículo. “a produção do combustível também emite CO2, assim como produção de bateria e recarga do veículo elétrico”, finalizou.

Para o presidente da Abrafiltros, João Moura “essa é uma pauta de extrema relevância e um grande desafio para países menos desenvolvidos. De fato, é preciso pensar num futuro sustentável e o mundo tem caminhado neste sentido”.

O evento, dividido em três momentos, iniciou com a participação de Daniel Zocchio, membro da equipe técnica da Abrafiltros, abordando as “Características dos nãotecidos e aplicações no segmento de filtração”. Em seguida, Luís Meneses Filho, vice-presidente do Grupo Solavite, apresentou o tema “Tecnologia para o tratamento corretivo e preventivo de incrustações em águas industriais” e depois foi a vez de Lopes falar sobre a eficiência energética dos veículos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *