A pandemia e a triste perda do capital intelectual – Dicas de Gestão

A pandemia e a triste perda do capital intelectual

A pandemia e a triste perda do capital intelectual

A pandemia e a triste perda do capital intelectual

 Por Alexandre Costa

Que a Pandemia tem varrido todo o Globo e nos colocado em uma posição de exposição e fragilidade, isso está mais do que evidente para todos. O que ainda não ficou muito visível é a extensão dos seus efeitos, principalmente no longo prazo, para as pessoas e para os negócios.

Como consultor tenho por obrigação de tecer um olhar crítico sobre esse cenário e traduzir em um artigo as perdas que precisam ser consideradas, e que ao menos até esse momento, não vi isso ser levantado ou cogitado em nenhuma publicação de massa. E, uma vez imbuído dessa missão, tracei uma análise crítica sobre o tema, onde identifiquei que há fundamentalmente três grandes perdas que precisam ser consideradas nesse momento.

A primeira, mais dolorosa e irreparável, sem dúvida, é a perda de um ente querido, do familiar ou do amigo, que já esteve próximo e agora nos deixa com lembranças saudosas. Essa dor, difícil de cicatrizar, vai marcar muitas famílias e deixar uma mácula em nossa atual geração.

A segunda, e que sucede o período de luto, é a perda financeira que muitas famílias terão, pois em muitos casos o ente falecido era o principal provedor da casa. Imagine só por um instante a quantidade de lares impactados e que terão sua capacidade de compra significativamente reduzida, ainda mais em um período de incertezas como esse.
Tal impacto vai se manter ainda por um longo período de tempo resvalando sobre a própria economia das famílias, até que um novo provedor supra suas necessidades.

A terceira, e não menos importante, e motivo desse artigo especial, é a perda do capital intelectual, que por muitos anos foi produzido e acumulado por profissionais experientes, fato este difícil de ser reparado no curto prazo. E, isso trará um impacto enorme para os negócios. Afinal, como substituir um gerente experiente, um técnico com anos de vivência no setor, ou Mesmo o próprio empresário que há muitos anos fundou a empresa?

Não será possível repor isso de uma hora para outra. Nada substitui a experiência acumulada no longo prazo, a dedicação entregue por anos a uma atividade, ou mesmo o empenho de um fundador de uma empresa.

As notícias impactantes sobre o aumento do número de casos, e o fechamento de muitas atividades comerciais por todo o Pais não nos tem permitido enxergar ainda o impacto causado pela perda do capital intelectual. Isso apenas será sentido a fundo quando da passagem da Pandemia, que é certo que um dia ira acontecer, e que seja o mais
breve possível, e da retomada da economia aos patamares anteriores.

Nesse momento fará falta o conhecimento do negócio, que foi sendo absorvido por esses profissionais durante anos de trabalho, a vivência de momentos bons e ruins no cotidiano da empresa. E, é fato, não estaremos preparados para enfrentar esses desafios sem eles. Não mesmo.

Enxergo que as empresas passarão por uma regressão em seus processos, algo como uma imaturidade momentânea, uma espécie de lacuna organizacional que apenas será preenchida com o passar dos anos.

E triste dizer isso, mas os efeitos da Pandemia ainda serão sentidos por um longo tempo na grande maioria das empresas.

Alexandre Costa– Alpha Consultoria
Consultor sênior especializado em inovação para o setor automotivo, com 25 anos de experiência. Palestrante convidado a participar dos principais eventos do mercado em todo País e diretor da Alpha Consultoria, empresa dedicada ao segmento automotivo.
Entre em contato com a Alpha Consultoria via WhatsApp


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *