Dicas para a revisão dos veículos nas férias. Troca de filtros e palhetas são fundamentais

Dicas para a revisão dos veículos nas férias. Troca de filtros e palhetas são fundamentais

Equipamentos essenciais para ter qualidade no diagnóstico veicular
27 de janeiro de 2021
Isenção do ICMS sobre coleta do óleo lubrificante usado é concedida por prazo indeterminado
27 de janeiro de 2021

Dicas para a revisão dos veículos nas férias. Troca de filtros e palhetas são fundamentais

Consumidores devem ficar atentos ao desempenho dos filtros de óleo, ar, combustível e cabine e ao desgaste das palhetas do limpador do para-brisa 

Para quem está planejando pegar a estrada com seu automóvel nessas férias, é muito importante realizar a revisão do veículo, a fim de garantir que ele esteja em condições seguras e funcione perfeitamente. Neste ponto, a troca dos filtros é fundamental para prolongar a vida útil do motor e até proteger a saúde dos passageiros. É preciso estar preparado ainda para enfrentar as chuvas fortes desta época do ano. E as palhetas do limpador do para-brisa devem estar funcionando perfeitamente, para evitar riscos nos deslocamentos. 

É justamente neste período chuvoso em que os limpadores de para-brisa são mais utilizados. E mantê-los funcionando corretamente é fundamental para garantir uma boa visibilidade e, consequentemente, a segurança de motoristas e passageiros. “A maior causa de desgaste das palhetas é o ressecamento da borracha ocasionado pela exposição ao sol. Além de não desempenhar a limpeza de forma eficiente, podem causar arranhões no para-brisa e ruído durante o funcionamento”, conta Plinio Fazol, gerente de marketing e novos produtos da Tecfil, que recomenda a troca do item, pelo menos, uma vez ao ano. 

Sobre os filtros, Fazol explica que os automóveis, em média, utilizam quatro tipos – óleo, ar, combustível e cabine – e que cada um deles influencia de forma diferente o funcionamento do veículo. “Os filtros são uma barreira contra as impurezas, que têm impacto negativo no desempenho do motor, aumentam o desgaste das peças e podem até causar a proliferação de bactérias”, conta. 

Para os filtros de combustível recomenda se seguir o prazo de troca descrito no manual do veículo. Sua principal função é impedir que as impurezas do tanque cheguem ao sistema de injeção. “Falhas na hora de acelerar ou dificuldade para arrancar podem indicar que o filtro está sujo ou entupido”, observa Fazol. 

Já os filtros de ar do motor agem como uma barreira contra detritos que podem chegar à câmara de combustão, ocasionando o mau desempenho e o aumento do consumo de combustível. Quando este filtro está sujo, recomenda se a troca imediata do item, destacando que ele jamais deve ser limpo com jatos de ar comprimido e reutilizado. “A força do jato de ar pode romper as fibras da mídia de filtração e agravar as consequências”, alerta. Trocar o filtro de ar no momento certo evita ainda o consumo excessivo de combustível, o aquecimento do motor, a perda de potência e o aumento de gases poluentes pelo escapamento. “O período de troca para esse filtro pode variar de acordo com o ambiente em que o veículo circula, contudo, é necessário verificar as recomendações de manutenção dadas pelo fabricante do veículo”, acrescenta Fazol. 

O diagnóstico do sistema de lubrificação é uma das principais análises realizadas durante uma revisão, pois ele é o responsável pela proteção contra o desgaste das peças. Neste sistema, o filtro de óleo atua eliminando as impurezas resultantes da fricção das peças móveis do motor e da combustão. Se aconselha que a troca deste filtro seja feita conforme o manual do veículo, sempre junto com a troca do óleo do motor. 

Instalado normalmente atrás do porta-luvas ou dentro do painel, o filtro de cabine é um componente fundamental para purificar o ar e reter as impurezas que entram nos automóveis pelos dutos de ventilação. Pesquisas mostram que, quando a troca deste filtro não é realizada no tempo adequado, a concentração de poluentes dentro de um veículo pode ser muito maior do que fora dele, podendo causar doenças alérgicas e respiratórias graves. Em ambientes urbanos, por exemplo, a Tecfil orienta que os filtros de cabine sejam trocados entre seis meses e um ano, no máximo. “Quando o item está saturado, os consumidores devem ficar atentos a sintomas como perda de eficiência do ar-condicionado e meu cheiro no interior do veículo”, conta Fazol. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *