Sistema Firewall automotivo – Redes Protegidas – CONTEÚDO TÉCNICO

Sistema Firewall automotivo – Redes Protegidas

Sistema Firewall automotivo – Redes Protegidas

Por Leandro Marco / Fotos: Divulgação

Olá amigo reparador, estamos chegando a mais um fim de ano, sabemos que nossa classe, como muitas outras, vive um ano diferente. Pandemia, restrições, liberações, enfim 2020 está passando, e esperamos um 2021 forte, e um Brasil diferente, avançando sempre!

No findar do ano de 2019, trouxemos aqui na edição de nº 135, informações sobre a proteção da Rede CAN trazida nos veículos da FCA – FIAT CHRYSLER AUTOMÓVEIS, onde os veículos não permitem um acesso direto via scanner para reset de parâmetros, Falamos da Security Gateway, ou SGW.

Acesse ao site da Revista Reparação Automotiva, e confira esta matéria na edição 135. Enfim, estes sistemas vieram para agirem como um FIREWALL Automotivo.

FIREWALL?

Firewall é uma solução de segurança baseada em hardware ou software (mais comum) que, a partir de um conjunto de regras ou instruções, analisa o tráfego de rede para determinar quais operações de transmissão ou recepção de dados podem ser executadas.

Baseados, sem sistemas computacionais, onde é mais comum vermos nos sistemas operacionais, como o Windows, a presença do Firewall Ativado ou desativado, lembra?

Então, por normas legais, onde existe a busca de evitar roubos e furtos de veículos, adulteração de softwares de funcionamento, etc. As montadoras investem em pesquisas para impedir tais violações de seus sistemas.

Sistemas Embarcados e Interligados em Rede Veicular

Podemos identificar na figura acima, extraída do manual técnico da SIMPLO, vários módulos eletrônicos que se intercomunicam via rede de dados, conhecida como Rede de Comunicação (Rede CAN).

Vale ressaltar que estas tecnologias não são aplicadas apenas a veículos Premium, mas estão presentes em veículos de entrada, os populares como:

  • Chevrolet Onix,
  • Fiat Mobi,
  • Fiat Uno,
  • Ford Ka,
  • HB20,
  • Entre outros.

Quando alguma destas luzes de anomalia acendem, muitas vezes os defeitos são interligados a um apenas, mas vários módulos o reconhecem:

Painel do Land Rover Freelander II 2012
Painel Pajero Full.

Ao buscar via scanner informações do motivo do aviso luminoso de anomalia, encontrarmos as seguintes informações como códigos:

Código U1208 – referente a uma falha do motor, sendo identificado pela caixa de câmbio automático.

Todo código “U”, siginifica que existe uma falha de comunicação entre as unidades eletrônicas da arquitetura do veículo que está sendo analisado. A referência da imagem acima pertence a um diagnóstico feito em Peugeot 3008.

Mas vamos a Firewall

Desde a chegada deste sistema aos veículos FCA, veio a preocupação nas oficinas: “Como iremos realizar nossos trabalhos nestes veículos?”

Possuir equipamentos atualizados, treinamentos específicos e biblioteca técnica atualizada são algumas das recomendações.

Os Scanners da AUTEL, distribuidos pela GYNPROG, já trazem os cabos e interfaces próprias e homologados para estes sistemas. 

Aqui na GENERAL TECH, utilizamos os Scanners AUTEL fornecidos pela GYNPROG:

Além do scanner atualizado e preparado para estes sistemas, os fabricantes dos mesmos devem ter autorização e assinatura homologada junto as montadoras.

O que acontece ao tentar realizar diagnóstico em veículo com Firewall na Rede Can?

Você consegue acessar e visualizar as falhas e funcionamento do veículo com scanner, porém, não conseguirá apaga-las, bem como não conseguirá fazer nenhum ajuste ou programação de um novo módulo.

Para cada montadora, existe um cabo ou conector específico, e atualmente uma homologação que será direto via o cabo obd2 do AUTEL MAXSYS 908S Pró.

A linha Jeep Reegade e Fiat Toro, tem apresentado muitas falhas de direção elétrica, cuja a substituição completa da coluna de direção por exemplo, se faz necessária:

Com scanner comum, você não conseguirá realizar o alinhamento de Proxis, onde o sistema em rede destes veículos não aceitará o novo componente na rede até ser programado, ou seja alinhado.

O hodômetro do veículo ficará piscando intermitentemente, até que seja feito o serviço corretamente.

E chegou a nosso mercado a mais nova Rede a FD, da General Motors – Chevrolet O CAN-FD (Controller Area Network with Flexible Data-Rate) é uma evolução do CAN e foi apresentada na 13ª Conferência Internacional do CAN, realizada em Nuremberg-Alemanha em 2012, com as empresas Bosch e Vector. Nessa conferência, foi executada uma simulação em bancada da transmissão de dados de um veículo, onde se demonstrou que a taxa de transmissão podia chegar até 15 Mbps, utilizando a interface do CANoe que é uma ferramenta de diagnóstico desenvolvida pela Vector (CIA, 2012).

O CAN-FD tem toda sua estrutura baseada no CAN, a diferença principal é a quantidade de dados (até 64 Bytes) que o CAN-FD suporta, enquanto o CAN suporta apenas 8 Bytes no seu Frame.  O hardware muda a parte do controlador. O CAN-FD tem como principal diferença, em relação ao CAN, o suporte de dois bits que são responsáveis por alterar a velocidade de transmissão da mensagem (VECTOR, 2013).

Vantagens da CAN FD

O CAN-FD tem flexibilidade na configuração da rede, sendo possível acrescentar vários nós na rede, sem causar problemas técnicos no sistema. A rede trabalha no conceito multi-mestre, eliminando a necessidade de um módulo.

principalresponsável pelo gerenciamento da rede.Adicionalmente, em seu frame, ele tem um campo de detecção de erros, retransmissão de mensagens corrompidas, como no barramento CAN. Uma característica relevante é a compatibilidade com o CAN, ou seja, todo nó do CAN-FD está apto a receber e transmitir mensagens de acordo com a norma ISO 11898-1.

Ele usa um protocolo de acesso conhecido como CDMA/CD+AMP (Carrier Sense Multiple Access/Collision Detection + Arbitration on Message Priority).

Sinais elétricos, que poderão ser obitidos pelo osciloscópio, apresentam a diferença entre Can e a CAN FD

Por se tratar de uma Rede Can com maior velocidade, o scanner automotivo para se comunicar terá a necessidade de uma atualização e de um novo hardware, neste caso um conector chamado pela AUTEL de CAN FD.

Lembrando que para acessar estas novas redes não bastam apenas os conectores apropriados, mas o Scanner precisa estar atualizado e ter um processamento adequado para atender estes sistemas.

Bom amigos, encerramos aqui esta primeira parte sobre sistemas Firewall Automotivos, lembrem-se:

Se o seu scanner não acessa alguns veículos a partir de 2017, para reset de anomalias e programações, o veículo que está sendo analisado está protegido pelo Firewall!”

Até a próxima!

LEANDRO MARCO

General Tech- Oficina Premium em Uberaba (MG)

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *