Novo cenário que se forma para as oficinas – Revista Reparação Automotiva

Novo cenário que se forma para as oficinas

O atual contexto em que vivemos tem transformado profundamente nossa sociedade. As relações humanas foram impactadas pela necessidade de distanciamento, e isso afeta, não tão somente a questão da necessidade do ser humano de interagir em grupos, mas também da própria natureza das relações comerciais. Uma mudança brusca ao qual nenhum segmento econômico estava preparado, nem mesmo o automotivo, que diante de tantas outras adversidades vinha driblando habilmente as questões econômicas e se mostrando um segmento forte e de grande resiliência.

Dado o cenário que se formou nos últimos meses e diante das novas perspectivas que vão se consolidando podemos agora desenhar um ambiente de negócios, que ao nosso ver, enquanto empresa de consultoria, se mostra o mais coerente e adaptado para ser adotado pelo setor de reparação automotiva.

Para tanto, precisamos entender que, enquanto não for criada uma vacina, não haverá Pós Pandemia, isso quer dizer que, mesmo que haja uma involução da doença, ela contunuará como uma Endemia, o que nos fará lidar diariamente com o risco de contágio e proliferação do vírus. Por isso, nesse texto, vou muito além dos cuidados básicos de saúde e higiene já amplamente divulgados. Vou mostrar o que precisa ser entendido pelos empresários do segmento para que possam adequar seus negócios, e assim poder perenizá-los.

O primeiro ponto que devemos compreender é que daqui por diante estaremos imersos em uma “economia de baixo contato”, isso significa que, as oficinas mecânicas e seus fornecedores deverão adequar seu layout e suas rotinas aos novos hábitos de distanciamento, que devem ser cumpridos e respeitados, a fim de garantir a segurança biológica de nossos clientes e colaboradores.

Outro ponto importante a ser entendido é a necessidade de termos grande flexibilidade em nossos negócios de modo a nos adaptar rapidamente a futuras condições de novos fechamentos dos estabelecimentos, seja parcial ou total, de âmbito local ou estadual, ocasionadas por prováveis novos picos epidêmicos. Por isso, fazer reservas econômicas e rever políticas de vendas será primordial, além de ajustar os custos da empresa a nova realidade de baixa demanda do mercado.

E por último, e não menos importante, sobreviverão as oficinas mecânicas que, além de entender os dois conceitos acima, tomarem para si a responsabilidade de proporcionar ao seu cliente muito mais de que apenas um simples reparo em um veículo. Caberá as empresas de reparação daqui por diante gerar aos seus clientes uma nova experiência de consumo, onde a segurança biológica estará em primeiro lugar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *